Preparo e acondicionamento de materiais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6096 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA
CENTRO DE CIENCIAS BIOLOGICAS E DA SAÚDE
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM
ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO




ALESSANDRA S. JULIO
ANA PAULA SANTOS MORATO
BEATRIZ PEREIRA
DANIELA OLIVEIRA DA SILVA
FERNANDA CARVALHO LAMOGLIA
SUZE P. DOS SANTOS



EMBALAGENS E PREPARO







Trabalhoapresentada à disciplina Enfermagem em Centro Cirúrgico como requisito parcial à conclusão do Curso de Enfermagem, Setor de Ciências da Saúde da Universidade Veiga de Almeida.
Professor: Rogério





RIO DE JANEIRO
2009







































"Nada lhe posso dar que já não existam em você mesmo.Não posso abrir-lhe
outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada
lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a
tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo".
Hermann Hesse



1.0-INTRODUÇÃO
A esterilização de instrumental tem sido alvo de discussões em vários âmbitos, contemplados em round com CCIH, tudo para que sejadiminuída até a sua ausência de relação com casos de infecções causadas por micobactérias. Tais discussões possibilitaram o desenvolvimento de protocolos e a validação adequada dos processos de reprocessamento dos artigos médico-hospitalares.
A busca da validação e desenvolvimento de protocolos perpassa por questões legais, éticas, tecnológicas e por que não dizer de consciência de que oprotocolo bem elaborado e executado é capaz de fazer a diferenças na presença ou ausência de infecções.
Quando essa consciência chegar “as mãos” dos que executam tais protocolos, além de bem elaborados, serão bem executados, não basta que existam, é necessário que se façam importante e compreensível para aqueles que executam. É preciso ficar claro o porquê de tais protocolos.
A ANVISA tempublicações que norteiam as práticas voltadas ao processamento e reprocessamento de artigos médicos-hospitalares, como: a RDC 156 publicada em 11 de agosto de 2006, que trata sobre o registro, rotulagem e reprocessamento de produtos médicos, a RE 2605/06 que traz a lista de produtos médicos enquadrados como de uso único proibidos de serem reprocessados e a RE 2606/06.
A principal finalidade dasembalagens é manter a esterilidade do produto, protegendo-o das condições de transporte e armazenagem até o seu uso. O atributo que se exige de um sistema de embalagem é a eficácia da barreira microbiana, a qual impede sob condições específicas a migração de microrganismos do meio ambiente para o interior da embalagem.














2.0- PREPARO
Uma vez finalizada a fase delimpeza e redução da carga microbiana, o material deve ser preparado para a esterilização. Nesta fase alguns cuidados devem ser tomados. Deve-se observar as características mecânicas dos artigos, como furações, canais, sobressaltos, montagem, com a finalidade de garantir que o agente esterilizante terá condições de penetrar em todos os pontos.
Peças metálicas compostas de várias partes devemser desmontadas completamente. Pinças, garras e outros dispositivos que abre e fecham devem ser embalados e esterilizados abertos. Frascos, placas e tubos de ensaio nunca devem ser esterilizados fechados ou tamponados.
Se um instrumento cirúrgico não está limpo, a esterilização e a desinfecção de alto nível tornam-se ineficientes, patógenos sanguíneos podem ser transmitidos, e osprofissionais envolvidos na área da saúde correm um alto risco de transmissão de doenças. Por essa razão, os profissionais da área da saúde devem sempre limpar e descontaminar adequadamente o instrumental utilizado sem comprometer as boas práticas. O segredo para uma descontaminação bem sucedida está diretamente relacionado à habilidade do profissional da saúde, os tipos de soluções usadas e os materiais...
tracking img