Preconceito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1774 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
EDUCAÇÃO E PRECONCEITO RACIAL: CONVERGÊNCIAS E
DIVERGÊNCIAS NAS PERCEPÇÕES DAS FAMÍLIAS NEGRAS E BRANCAS
NO MUNICIPIO DE CUIABÁ
MONTEIRO, Edenar Souza – UFMT – edenar.m@gmail.com
GT-21: Afro-Brasileiros e Educação
Na sociedade brasileira, exclusão, preconceito e discriminação caminham juntos.
A diferença se transforma em desigualdade através de processos sutis e complexos,
presentesem nosso cotidiano, nos diferentes espaços sociais (CANDAU, 2003).
Henriques (2004) constata que essas desigualdades são intensas e estão
diretamente relacionadas com o preconceito racial que, associadas às diferentes formas
de discriminação, impedem o desenvolvimento das potencialidades da população negra.
Os indicadores sociais analisados pelo IBGE/PNAD em 20061
, expressamrelevante destaque à população negra que sofre e percebe a exclusão social à qual são
submetidos seus dependentes no decorrer da vida. A maior parte desse segmento social,
sistematicamente desfavorecido, é privado de condição digna de moradia, assistência
médico-sanitária, escolaridade, emprego e renda, etc. Portanto, a população negra sofre
duplamente – por ser negra e por reforçar o quadro dasdesigualdades sociais
relacionadas à condição econômica. Vemos, por Munanga (1996:216), que “[...] numa
sociedade como a nossa, as questões de raça e de classe mantêm entre si uma certa
dialética.” Nesse sentido, no Brasil, pesquisas têm demonstrado que as relações sociais
estão marcadas pela desigualdade e o fator cor/raça é determinante para a exclusão ou
inclusão dos indivíduos.Hasenbalg (1979), analisou as desigualdades raciais referentes à participação do
negro na educação formal e concluiu que o progresso educacional do aluno negro foi
mais lento que do aluno branco. Com relação ao grau de conclusão de escolaridade da
população negra no nível superior, a desigualdade foi mais exorbitante. O autor
constatou que a possibilidade de um aluno branco, em relação a umaluno negro,
concluir o curso universitário era 13,7 vezes maior.
Estudos mostram que o ambiente escolar é espaço de diferentes relações sociais
e reflete a diversidade cultural presente na sociedade. Destarte, “diferentes costumes,
1
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
Pesquisa por Amostra de Domicílio – dados obtidos na síntese de indicadores sociais (Uma análise dascondições de vida da população brasileira / 2007). Disponível em:
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsocia
is2007/indic_sociais2007.pdf 2
crenças, etnia e todos que compõem a cultura, freqüentam, diariamente, as salas de
aula” (CANDAU, 2003:24).
Oliveira (1996:14), percebe a escola como lugar privilegiado, “cuja função éoferecer, a todo e qualquer brasileiro, oportunidade de incorporar, em sua prática social,
os conteúdos mínimos que lhes garantam usufruir o seu direito de cidadão”.
Embora, os estudos que buscam entender a escolarização do ponto de vista das
famílias, sejam poucos no Brasil, esta pesquisa objetiva conhecer e analisar as
convergências e divergências nas percepções das famílias negras e brancassobre a
educação e o preconceito racial no contexto escolar.
No tocante à família é importante falar especificamente da família brasileira,
pois esta vem passando por transformações importantes, decorrentes das evoluções
sociais, no contexto socioeconômico e político do país; nessas transformações
permeiam inúmeros arranjos familiares, possibilitando os mais variados conceitos de
família.Kaloustian (1988:65), trata desse assunto enfatizando a família como garantia de
sobrevivência e proteção de seus membros e afirmando que:
A família é o lugar indispensável para a garantia da sobrevivência e da
proteção integral dos filhos e demais membros, independente da forma como
esta vem se estruturando. É a família que propicia os aportes afetivos e,
sobretudo, materiais...
tracking img