Politica e saude

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (288 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A falta de condições em um posto de saúde acaba resultando em um mau atendimento médico, se o médico não tem condições de fazer uma radiografia ou de solicitar exames,consequentemente o atendimento ao paciente vai ficar prejudicado.
Santos, considerada a melhor cidade para o aposentado brasileiro, com 419,7 mil habitantes, teve a nota de 5,47, o nonopior desempenho do grupo das cidades mais ricas, com estruturas de saúde pública mais complexa. Entretanto, o município está na média nacional de 5,4. A saúde pública da cidadede santos é caótica. O Sistema Único de Saúde (SUS) é subfinanciado, a quantidade de dinheiro que o Brasil gasta por habitante é muito inferior ao ideal. Isso leva à carência detudo, desde medicamentos até exames necessários à prática de uma boa medicina. Com isso os grandes hospitais ficam sobrecarregados. A rede básica não funciona. Um paciente comforte dor de cabeça deveria ser atendido inicialmente na unidade de saúde de seu bairro.
Com a expansão da classe C, a demanda por planos de saúde, antes inacessíveis, avançou,com a evolução da oferta de produtos mais baratos, que podem apresentar dificuldade de atendimento e baixas coberturas, de acordo com a entidade. Apesar de comprometersignificativamente uma parte da renda familiar, em muitos casos, no entanto, essa parcela da população acaba tendo de recorrer ao SUS"
O papel do Estado é proeminente na gestão da rede desaúde, de forma a traçar as linhas estratégicas de investimento na expansão e melhoria dos serviços. Assim como é sua obrigação conduzir programas permanentes de qualificação evalorização dos profissionais da saúde, impedindo a “fuga” dos trabalhadores mais gabaritados para o setor privado e melhorando o atendimento recebido pela população.

.
tracking img