Polifonia musical

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1307 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE













Polifonia Musical



























Recife, 20 de Março de 2012







FACULDADE:
















































INTRODUÇÃO

Neste trabalho iremos abordar a temática da Polifonia Musical. Iremos expor o seu conceito, suasparticularidades, e como ocorreu sua disseminação pelo mundo. Além de traçar suas alterações recorrentes das transformações na sociedade ocidental durante toda a nossa era.

























POLIFONIA E SEU CONCEITO


O conceito de Polifonia, segundo o Dicionário Michaelis: 1 Pluralidade de sons, tal como na reverberação de um eco. 2 Mús Processo de composiçãode música a várias vozes simultâneas que se desenvolvem harmonicamente (polifonia harmônica) ou são melodicamente independentes e individuais (contraponto). 3Canto coral; música para massas corais. 5 Mús Conjunto de instrumentos que não tocam em uníssono.
A trajetória da homofônia à polifonia na história da música ocidental, inicia-se por volta do ano 600 de nossa era. Por essa época, aIgreja Católica tornou-se a principal potência política do Ocidente e, durante o papado de Gregório, o Grande, procura-se, sob a sua liderança, "unificar o canto da Igreja sobre o modelo romano", tendo-se em vista a hegemonia católica de todo o território europeu.
Esse ideal hegemônico perpassa os dois séculos seguintes, desembocando na tentativa de unificação da liturgia por parte de CarlosMagno: "dois séculos depois do papa Gregório, Carlos Magno interessou-se pela unificação da liturgia, com um duplo fim político: disciplinar o papado, sempre poderoso, e fortificar a unidade de seu império. Impõe-se aos seus Estados um repertório de cantos de Igreja que julga ser o verdadeiro canto prescrito por Gregório.
Esse repertório de cantos veio a ser conhecido pela denominação de"canto gregoriano", melodias unitárias e homofônicas que, sob o domínio do poder eclesiástico, procuram expressar o poder político-religioso da Igreja Católica (que durante séculos foi o único foco de criação musical).




























A POLIFONIA NA IDADE-MÉDIA


Durante o século X poucas são as alterações sofridas pelo canto gregoriano,introduzindo-se apenas diálogos entre as melodias, não se alterando, portanto, a estrutura básica homofônica deste modelo musical. No século seguinte percebe-se, possivelmente inspirado pela música popular européia naquele período, que a melodia se tornará muito mais interessante e apreciável se uma segunda voz ascendesse ao mesmo tempo em que a voz principal descesse, e vice-versa. Posteriormente, no séculoXII, o canto gregoriano é dilatado, ou seja, coloca-se entre uma nota e outra uma melodia mais dinâmica e de ritmo mais ágil, além de se introduzir uma diferenciação de andamento entre as várias vozes.
No século XII, prevalece um tipo de composição em que as melodias diferenciam-se e, portanto, não são mais as mesmas nas várias vozes. Ou seja, os vários segmentos melódicos desenvolvem-seInterdependente, necessitando-se de uma notação musical mais rigorosa que propiciasse a valoração do tempo de cada nota.
Esse tipo de composição, ou moteto, como vieram a ser conhecidos posteriormente, "constituem o verdadeiro lançamento da música polifônica que, por sua vez, irá predominar no cenário musical europeu de forma mais efetiva a partir do movimento denominado “Ars Nova”, já nocomeço do século XIV.
Durante esse século, as regras composicionais da música polifônica são definitivamente estabelecidas, assim como a leis básicas de mensuração temporal da música que irá predominar durante os quatro séculos que se seguirão, culminando no sistema tonal, plenamente estabelecido na passagem do século XVII para o século XVIII (significativamente, este fato coincide com a...
tracking img