Palestrina

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2397 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
|
Universidade Federal de Pernambuco
Centro de Artes e Comunicação
Curso: Música
Disciplina: Estética e estruturação musical
Professor: Dierson Torres




Música Sacra no renascimento
Sicut Cervus (Giovanni Pierluigi da Palestrina)Recife
05/04/2013
Contexto Histórico – Musica no Renascimento

Com o advento da era do renascimento, onde se busca uma linguagem artística resgatando a forma de pensar da cultura greco-latina, as artes, assim como todo o modo de pensar sobre o homem, sofremmodificações avassaladoras. Não distante disso, passa-se a buscar uma linguagem que exprimisse novas impressões, ou seja, que despertasse nos ouvintes sensações diferentes. Foi sobre esse cenário de antropocentrismo, mesmo o teocentrismo não perdendo todo seu poder, que são quebradas as ligações com a cultura de servidão imposta pela da idade média. O objetivo maior era a busca por um pensamentoracional o que gerou a ruptura com a igreja medieval e que, algum tempo depois, resultaria em várias reformas protestantes.
Todo esse movimento tratava-se de um despertar para uma nova visão de mundo e sobre o homem. A vida material passa a dominar o pensamento do homem renascentista e a buscar novas sensações e prazeres rompendo com o pensamento anterior da idade média: “viver a vida terrena” erauma das máximas. A música profana começa a ganhar mais espaço assim como a instrumental que era diretamente ligado a tal estilo da época e começa a se mesclar com a música sacra. Mesmo assim a música que se tornou mais marcante pra essa época foi a música religiosa que consistia em missas, motetos, hinos entre outros cantos. É o momento em que surge a imprensa musical também financiada pelosnobres.
Assim como as demais artes, como a poesia, arquitetura e a escultura, a música não se deteve a reviver a estética dos gregos, até porque não era possível entrar em contato direto com o modo de fazer música deles, mas buscava expandir novas possibilidades a partir da exploração de novas técnicas. Em meio a essas busca de novas possibilidades e impressões a polifonia passa a ganhar espaçoentre as obras sacras pelos compositores, Em destaque encontra-se o papel da escola franco-flamenga que foi a principal difusora dessa nova forma de composição. Porém, devido a essa busca por novas impressões, assim como a adição de alguns instrumentos musicais, o texto litúrgico passou a se tornar inteligível, muitas vezes, o que provocou em muitos, confusão e desprezo ou, no mínimo, consideravam-nainadequada para o ambiente religioso.
Nota-se claramente que o objetivo dos compositores renascentistas em expandir as possibilidades sonoras era uma tentativa de quebrar com o conceito teocêntrico, uma vez que passaram a dar ênfase às impressões sensoriais e não mais a semântica do texto litúrgico, este por sua vez não fora abolido das composições só não era mais um freio à capacidade decriação dos compositores. Eram feitas várias experimentações, tal como colocar vozes distribuídas em partes diferentes da igreja para criar efeitos diferentes nos ouvintes.
Durante os anos de 1545 a 1563, foi realizado o concílio de Trento no qual o maior foco era iniciar a “Contra Reforma”, formalizando algumas medidas para excluir, da igreja, práticas consideradas abusivas. Com isso a prática dapolifonia, assim como a imitação de modelos profanos e a utilização de instrumentos musicais, estava para ser extinta na música sacra. A verdadeira intenção era que a música vocal fosse a única a ser executada na igreja, pois, para muitos, só ela era capaz de exprimir com exatidão o texto litúrgico e a louvação ao senhor, com isso o contraponto tenderia a ser reduzido e o acompanhamento instrumental...
tracking img