Planejamento rural

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1553 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Planejamento de Gestão Ambiental Rural
Elaboração de um projeto para um determinada propriedade rural.
1. Justificativa
O Projeto fundamenta-se, principalmente, no fato de que os proprietários tem como o cultivo de milho e soja como a sua principal renda econômica e também a qualidade do que está sendo cultivado sem ter danos ao meio ambiente.
2. Objetivos
* Desenvolver um planejamento queseja seguido para que a propriedade tenha uma otimização em sua produção e também em não agredir o meio ambiente.
3. Metodologia
A metodologia utilizada foi a elaboração de uma propriedade fictícia, através de observações feitas em aula e também trabalho de pesquisa.
4. Projeto Rural

Propriedade plantação de soja e milho
A propriedade rural estudada está localizada no município de PinheiroMachado a margem da BR 293, possuindo uma área de 10 hectares de extensão, sendo 2 destes destinados ao cultivo de milho e soja.
A propriedade tem 3 km de distância da sede do Municio, e as plantações tem as seguintes coordenadas. Plantio de milho: 31°34’34’’ S 53°21’75’’ O. Plantio de soja: 31°34’17’’ S 53°21’85’’ O.
A prática de produção de milho e soja é feita diretamente no solo, o queimplica no uso de agrotóxicos e pesticidas; irrigação de lavouras; tecnologias e equipamentos para plantação; descarte de embalagens perigosas. Para obter boa produtividade, o produtor rural deve ter um Plano de Gestão Ambiental Rural para cultivo de milho e soja.
Neste Plano, serão apresentadas quais as práticas corretas de manejo de solo (fertilidade de solo, adubação, plantio, irrigação), rotaçãode culturas, como fazer o controle de plantas daninhas, doenças e pragas, a colheita, além da destinação de embalagens perigosas.


4.1 Solo:
O solo é um recurso fundamental para cultivo de milho e soja, exercendo influência direta sobre a produtividade destas culturas. Dessa forma, antes de iniciar sua produção, é extremamente importante providenciar as características existentes naquelesolo para que seja feito um preparo da área. Na propriedade analisada, o solo identificado é do tipo latossolo, com textura média, teores de argila em torno de 30-35%, ou mesmo argilosos e boa estrutura.
O cultivo de milho e soja foi a primeira atividade realizada nesta área, o que faz com que se saiba que este não apresenta nenhum tipo de cultura anterior, adubação, uso de fertilizante oucorretivo.
4.2 Fertilizantes:
Estão sendo utilizados fertilizantes á base de cloreto de potássio. Segundo Braga (2011), estes fertilizantes tem alta salinidade, o que causa prejuízos ao sistema radicular das plantas, comprometendo a absorção de água e nutrientes. Em vista disso, aconselhamos que o uso deste fertilizante seja feito em doses moderadas e não contínuas, evitando o aumento do teor decloreto nas plantas e, consequentemente, a queda da produtividade.
4.3 Adubação:
No cultivo de soja não existe necessidade de fazer adubação nitrogenada. A demanda de nitrogênio (N) é suprida pelo solo e pela simbiose da planta com o rizóbio específico já existente no solo ou fornecido mediante a inoculação das sementes. Além de aumentar os custos de produção, a aplicação de N ao solo inibe a fixaçãobiológica de N e não aumenta o rendimento de grãos.
O uso de adubos com Fósforo (P) e potássio (K) duas alternativas para a produção de grãos: a) adubação corretiva gradual, e b) adubação corretiva total. A primeira opção é indicada quando há menor disponibilidade de recursos financeiros, sendo a quantidade total de P ou K aplicada ao solo no decurso de dois cultivos. Já a adubação corretivatotal é indicada quando há disponibilidade de recursos financeiros para investimento, sendo a aplicação de P e K, necessária para corrigir a deficiência do solo, aplicada de uma só vez. Em ambos os casos a meta é elevar os teores de P e de K no solo ao nível adequado para o desenvolvimento das plantas. No caso de solos arenosos (< 20 % de argila) ou com CTC < 5 cmolc/dm³ não se recomenda a adubação...
tracking img