Pedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2741 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Anhanguera
UNIDERP



LETRAMENTO E ALFABETIZACAO

Nome. R.A


DeniseF.B.Marquesin
Maria da Graça Torres Bagne




Ribas do Rio Pardo-MS
Setembro -2012

Por muitos anos acreditou-se que o fundamental paraalfabetizar os alunos era o treino da memória, da coordenação motora, da discriminação visual e auditiva e da noção de lateralidade. Hoje o conhecimento disponível aponta e comprova cientificamente que a alfabetização e um processo de construção de hipóteses sobre o funcionamento do sistema da escrita,que esse não e um conteúdo simples,mas,ao contrario ,extremamente complexo que demandaprocedimentos de analises também complexos por parte de quem aprende que , como já se pode constatar que vê,existe um ser humano que pensa e, por isso alfabetiza-se
E possível alfabetizar sem ensinar silabas, e mais eficaz alfabetizar sem ensinar silabas, sob todos os aspectos.
Desde que saiba como, não e nem pode ser considerada um modismo ou uma aventura, um trabalho pedagógico serio, necessário edifícil, que exige uma formação especifica dos professores.
É mais que notório na sociedade contemporânea que a educação, face às transformações evidenciadas nos mais diversificados campos do saber, encontra-se cada vez mais atrelada à iminente necessidade de propiciar aos aprendizes o desenvolvimento de habilidades e competências para que possam ampliar conhecimentos e entendimentos acerca do que oscerca. Mas para isso é imprescindível que condições lhes sejam oferecidas, pois frente a contextos variados é preciso estar apto para a tarefa de entender, elaborar e reelaborar a escrita.
De acordo com Guedes e Souza, o ensino da produção escrita não pode ser resumido à mera Graf agem de palavras, porque ensinar é, antes de tudo, "dar condições ao aluno para que ele se aproprie do conhecimentohistoricamente construído e se insira nessa construção como produtor de conhecimento" (2006,).
Como o ato de escrever não pode em hipótese nenhuma estar desvinculado do ler, em virtude de não bastar apenas que se saiba relacionar as palavras a partir do seu sentido dicionarizado, a outras, mas de ser preciso considerá-las em relação ao contexto imediato em que são empregadas; bem como,correlacionar o signo verbal ao não-verbal e utilizar as diversas tipologias e gêneros textuais para que se processe a constituição e o entendimento de um texto, faz-se imprescindível que subsídios sejam oferecidos ao aprendiz para que o mesmo possa tornar-se hábil a avaliar a trajetória do ato de elaboração do texto seja ele verbal, ou não. Nesse sentido, atrelar o diálogo, elemento relevante para a trocade conhecimentos, experiências e saberes indispensáveis para uma escritura mais frutífera, e a oferta de leituras variadas às práticas educativas seria uma das maneiras de alcançar esses objetivos.
Como o texto, seja ele oral ou escrito, não se constitui como uma peça isolada, nem como a manifestação da individualidade de quem o produziu, porque ao praticar o ato da leitura e/ou escrita, o sujeitoposiciona-se frente a realidades, o domínio da produção textual torna-se de extrema relevância para a inserção do sujeito na esfera social. Mas para que este sujeito possa manifestar sua opinião a respeito do que o circunda, criando e recriando sentidos e significados, é preciso que o mesmo torne-se detentor de dois elementos inseparáveis e indispensáveis: o hábito da leitura e escrita. Pois...
tracking img