Pedagogia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2805 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Fundamentos Filosóficos que permeiam a Educação Brasileira.

Poderá parecer que afirmar que a filosofia é uma disciplina em aberto, sem resultados substanciais consensuais, é uma forma de apoucar a disciplina, de a denegrir ou subalternizar.
Em qualquer caso, as instituições de ensino estãopreparadas para ensinar aos estudantes os resultados consensuais substanciais das diferentes disciplinas das humanidades, das ciências e da natureza ou da matemática. As instituições de ensino procuram apresentar aos estudantes tais resultados de modo a que este possa compreendê-los e passe a dominá-los com proficiência. Ao estudante compete unicamente compreender os resultados fundamentais da suadisciplina, e eventualmente saber aplicá-los no desempenho de uma profissão associada.
A solução habitual é procurar substituir a filosofia por outra coisa qualquer, pela história da filosofia, pelo ensaísmo literário ou pela especulação de caráter mais ou menos vagamente sociológico ou psicológico.
A filosofia é uma disciplina especulativa, que lida com problemas que ninguém sabe resolver.Esta realidade não é apenas difícil de aceitar, porque as instituições de ensino estão sobretudo vocacionados para transmitir o conhecimento já feito aos estudantes.
O cientismo manifesta-se na ideia de que ou a filosofia é mais ou menos como a biologia ou a história, no sentido de ter metodologias que garantam resultados substanciais definitivos ou quase definitivos, ou então a filosofia temde ser abandonada, pelo menos no molde em que tradicionalmente foi feita durante séculos.
As instituições de ensino estão sobretudo vocacionadas para ensinar resultados substanciais em filosofia causa algum desconforto, o ensino da filosofia levanta problemas importantes.
A filosofia não é uma disciplina empírica, como a história ou a física, é uma disciplina a priori o que se faz pelopensamento apenas. Nesse aspecto, a filosofia está mais próxima a matemática, que é também uma disciplina a priori.
Isso não significa que não possamos em filosofia apresentar hipóteses de caráter empírico, mas é possível testar empiricamente essas hipóteses, não são hipóteses filosóficas são apenas hipóteses sociológicas, psicológicas, biológicas e outras.
Contudo em filosofia não há métodosformais de prova, podemos usar a lógica, e devemos, mas a lógica é apenas instrumental, não resolve os problemas da filosofia, nem determina o que é ou não um problema filosófico. Num certo sentido, um problema é filosófico precisamente quando não há quaisquer metodologias cientificas, nem formais, para tentar resolvê-los. As perspectivas dos filósofos são respostas a problemas filosóficos, osproblemas podem ser mais ou menos plausíveis. Mas suas perspectivas não são como ficções literárias, são tentativas de resolver os problemas que os seus proponentes viam como reais e importantes.
Vimos que a natureza da filosofia levanta obstáculos sérios ao seu ensino. A filosofia é fundamentalmente discussão de ideias e as instituições de ensino podem não estar vocacionada para acolher talcoisa. Mas este não é o único obstáculo ao ensino da filosofia, a própria cultura em que estamos envolvidos pode ser um obstáculo a filosofia.
Se vivermos numa cultura autoritária, teremos dificuldades em questionar os grandes filósofos do passado, e com certeza teremos dificuldades de compreender o mundo e a sociedade em que vivemos.
Segundo Carvalho Neto, o aprendizado que a escola de hojepermite é centrado na comunicação verbal e visual que seriam o topo de uma pirâmide muito ampla. Esses saberes, no entanto, não são suficientes para educar o aluno contemporâneo. Para um ensino completo, que transcende decorar fórmulas e teoremas, seria necessário além desses processos, o uso de mídia ( áudio, TV e vídeo), vivências (em excursões e exposições), demonstram ao vivo, dramatizações...
tracking img