Palno social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1582 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]






















































































Apresentação

Ao decorrer da observação do, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Itagi, onde há muitas adolescentes de 14 a 17 anos sendo acompanhada por uma assistente social e uma psicóloga, ondeelas se encontram em fase de gestação. Lá são feitas reuniões de 8 em 8 dias, para orientação de como cuidar de bebês e da saúde das futuras mamães.
Durante a gravidez muitas mudanças acontecem no corpo da mulher fazendo com que esse período exija cuidados especiais, muitas dessas meninas tiveram que abandonar ou interromper o estudo por estarem grávidas e outras só descobrem a gravidez quando abarriga se desenvolve.
Tenho observado que o índice de meninas grávidas neste período vem aumentando muito. A partir do 6º semestre quero apresentar as propostas para esse plano de estágio que é desenvolver um projeto de intervenção com ações sociais no sentido de promover um trabalho cooperativo, participativo e interdisciplinar, fomentando a participação e a integração dos profissionais:Assistentes Sociais, Psicólogo, médico e enfermeiro ao mesmo tempo que visem promover a dignificar as gestantes no período que exige cuidados especiais, será um trabalho informativo voltado a questão das meninas mães participarem mais e dar continuidade ao trabalho que já vem sendo desenvolvido lá no CRAS.
Tenho como meio de intervenção trazer para essas adolescentes mais esclarecimentos dispondo depalestras esclarecedoras que venham tirar dúvidas a partir da gestação e do nascimento do bebê.











JUSTIFICATIVA
O Ministério da Saúde salienta a importância do pré-natal a incentivar todas as mães a buscarem o atendimento gratuito no sistema Único de saúde (suas). Com os exames médicos realizados no pré-natal, que é possível identificar a reduzir muitos problemas de saúde quecostumam atingir a mãe e seu bebê. Além de doenças infecciosas, ou disfunções que podem ser detectadas precocemente e tratadas de forma rápida. As consultas e exames permitem identificar problemas como hipertensão, anemia, infecção urinária, doenças transmissíveis pelo sangue de mãe para filho, desorientação durante a gestação, assim como problema social ou financeiro onde alguns desses problemaspodem causar o parto precoce, o aborto e até trazer conseqüências mais sérias para a mãe ou para o bebê. Quando há algum problema, a detecção precoce também auxilia o acompanhamento e pode auxiliar para que ele não se agrave.
As meninas brasileiras estão menstruando e iniciando sua vida sexual cada vez mais cedo. Vários fatores, desde o clima tropical e a alimentação do mundo industrializado até aerotização provocada pela permissividade dos programas de televisão contribuem a mudanças internas que promovem o amadurecimento antecipado dos elementos ligados ao desejo sexual e ao aparelho reprodutivo dos púberes.

Na sociedade moderna, onde os pais trabalham fora e a escola é insuficiente para acompanhar o desenvolvimento da sexualidade dos adolescentes, o problema torna-se preocupante,pois, por falta de informações, suas relações sexuais, sem proteção, podem resultar em gravidez indesejada, além de doenças sexualmente transmissíveis.

Dados estatísticos estão preocupando pais, educadores e médicos, pois o índice de gravidez de adolescentes cresceu 150% em relação às duas últimas décadas. No Brasil, uma entre cada cinco jovens entre 15 a 19 anos já tiveram filho, descontadasaquelas que praticaram aborto. No ano de 1999, segundo o Ministério da Saúde, foram realizados 700.000 (setecentos mil) partos, De cada cinco, um era de adolescente com menos de 19 anos.

Cerca de 20% das crianças que nascem a cada ano no Brasil são filhas de adolescentes. Comparado à década de 70, três vezes mais garotas com menos de 15 anos engravidam hoje em dia. A maioria não tem condições...
tracking img