Osteoporose

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1457 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

Os conhecimentos básicos sobre osteoporose (OP) estão entranhados na consciência dos ortopedistas desde o início do século XX. A palavra osteoporose surgiu do estudo histológico de um osso osteoporótico por Jean Georges Chretien Frederic Martin Lobstein, patologista francês, em 1830, mas popularizou-se entre os ortopedistas como um sinal radiológico, que significava rarefação óssea,em fraturas causadas por traumas de baixa energia. Este mesmo sinal os radiologistas chamam osteopenia.
No final do século passado o conceito de osteoporose mudou progressivamente da definição de uma doença bem específica, feita por Albright em 1941, para o conceito atual de uma desordem esquelética, o que engloba muitas patologias, nas quais a microarquitetura do tecido ósseo está deteriorada.Tanto o osso cortical como o esponjoso são afetados. Também a macroarquitetura dos ossos pode estar modificada. A densidade mineral óssea (DMO) está diminuída. Isto leva a um comprometimento da resistência do osso a traumas de baixa energia. O osso fica frágil, predisposto a um aumento da ocorrência de fraturas. É a alta incidência destas fraturas, chamadas de fraturas osteoporóticas (FxOPs) quetraz importância ao estudo da osteoporose.
A osteoporose participa não só para aumentar a frequência das fraturas, mas também para aumentar as possibilidades de formatos diferentes, desde fraturas sem manifestação clínica, como as chamadas fraturas morfométricas do corpo vertebral, passando por fraturas incompletas, até fraturas cominutivas muito instáveis que apresentam impossibilidade técnica deremontagem anatômica do osso. Algumas fraturas podem não ser detectáveis; outras, como as do corpo vertebral, podem deixar sequelas muito dolorosas; e outras podem levar o paciente ao óbito ou à incapacidade física permanente, como as fraturas da extremidade proximal do fêmur(3).
O envelhecimento da população é uma realidade visível ao olho densitométrico e sentida no próprio osso. Estamodificação é de caráter biossocial, óbvia e palpável, confirmada por dados históricos, demonstrando que, nos últimos 26 anos, a população do Brasil teve um ganho de dez anos na expectativa de vida ao nascer. Este envelhecimento traz consigo, entretanto, aumento alarmante de comorbidades, sendo a osteoporose uma delas. As fraturas são suas temidas conseqüências, que, em si, não causam diretamente a morte,mas que se associam ao grande aumento da morbimortalidade. Uma evidente deterioração da qualidade de vida associada ao incremento da mortalidade, especialmente por causas infecciosas e cardiovasculares, torna a osteoporose um crescente problema de saúde pública. A perda óssea inexorável que se segue a partir da meia-idade torna passível de desenvolver osteoporose todos aqueles indivíduos quepretendem (e conseguem) superar os 70 anos de idade. Pode-se dizer que a instalação da osteoporose é uma questão de tempo; quem viver o suficiente a desenvolverá(1).
É a doença osteometabólica mais comum e um importante problema de saúde, afetando mais de 200 milhões de mulheres no mundo. Além disso, de acordo com a National Osteoporosis Foundation, 22 milhões de mulheres no período pós-menopausa,com idade acima de 55 anos, apresentam a doença e, dessas, 78% não são diagnosticadas. No Brasil, é estimado que cerca de 10 milhões de indivíduos têm osteoporose e que 2,4 milhões sofrem de algum tipo de fratura todos os anos(4).

Esqueleto humano, Metabolismo ósseo e Osteoporose

O esqueleto humano tem três funções primárias: suportar sobrecargas contra a gravidade e ajudar na locomoção porfavorecer os locais de fixação dos músculos, em segundo lugar o osso age como barreira de proteção para os órgãos vitais e medula óssea e, finalmente, serve como um reservatório de mineral que mantém as concentrações sanguíneas de cálcio e fósforo quando necessário. O esqueleto pode ser divido em apendicular (periférico) e axial (central). O esqueleto apendicular compreende aproximadamente de 80%...
tracking img