Os supermercados e a economia comercial

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2774 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A IMPORTÂNCIA DOS SUPERMERCADOS PARA A ECONOMIA
COMERCIAL
João Lourenço Couto Ferreira Júnior

RESUMO
Este artigo mostra a importância da economia comercial, tendo como foco
principal os supermercados, que atualmente ocupa um grande espaço na vida do
consumidor brasileiro.
Palavras-Chave: Supermercados, Economia, Consumidor.

1. INTRODUÇÃO

Os supermercados estão presentes em todos os lugares,sendo de extrema
importância para a sociedade e a economia comercial. A geração de empregos,
capital, tecnologia, alta produção, inovação nos produtos e filiais em locais diferentes
são alguns fatores característicos no processo de evolução desse setor, que tem
como papel principal a aproximação ao consumidor e o desenvolvimento econômico
e produtivo.
O presente artigo analisa o processo detrabalho dessa classe econômica e
como conseguiu espaço no mercado e para sua elaboração foi utilizada a pesquisa
bibliográfica. Constaram de materiais como livros, Internet, arquivos em PDF,
periódicos e teses de mestrado e doutorado.
Sua subdivisão está conforme a seguinte estrutura: o primeiro subtítulo
mostra um breve conceito dos supermercados e os métodos eficazes que os
proprietários dessesestabelecimentos utilizam para aproximar-se dos clientes. O
segundo subtítulo esclarece o real surgimento dessa rede a nível mundial,
ocasionado pela crise econômica de 1929 nos EUA. Já o terceiro subtítulo menciona
a imagem supermercadista no Brasil, detalhando cada década, desde 1950 até os
dias atuais.
Por fim, o último subtítulo conclui respondendo a seguinte pergunta: quais os
fatores quecontribuem para o desenvolvimento dos supermercados frente à
economia comercial?

2. O QUE SÃO OS SUPERMERCADOS?

MORABITO et al. (2009, p.01) definem um conceito claro e objetivo para os
supermercados:
“Os supermercados são empresas varejistas, ou seja, representam o último
elo da cadeia entre um produto e seus consumidores finais, vendem
proeminentemente alimentos perecíveis dispostos em formatopara
autoatendimento (self service) e dispõem de caixas para pagamentos
(checkouts) na saída, tratando-se, portanto, de autoserviço.”

O setor supermercadista é um fator que vem apresentando qualidade,
inovação e dinamismo. Seus investimentos são trabalhados para melhor atender os
gostos do consumidor, garantindo satisfação e o próprio reconhecimento de seu
respectivo trabalho.
Dependendo dalocalização, alguns supermercados vêm se desmembrando,
e transformam-se em filiais, com o objetivo de melhor atenderem a demanda da
população, ou mesmo, a exposição e facilidade dos produtos e serviços. Tal
característica também tem ocasionado a contratação de funcionários em diferentes
setores, que significou enorme contribuição na redução do desemprego, onde, em
épocas distintas, tinha altos índices.ADRIAN & AIRES CUNHA (2004) afirmam que os supermercados, além de
gerarem empregos e rendas, são considerados como um setor chave. Geralmente,
os empresários que atuam nesse ramo não ficam exclusivamente na compra e
venda de mercadorias. Eles procuram mostrar um lado empreendedor, investindo
seus ganhos em outros fatores que realmente possam garantir uma demanda maior
e assim contribuirfacilmente para o desenvolvimento da economia.

3. A HISTÓRIA DOS SUPERMERCADOS: O INÍCIO DO SUCESSO

Os primeiros supermercados surgiram nos Estados Unidos (EUA), logo após
o mundo enfrentar a crise econômica de 1929. CÁRCERES (1996) afirma que nesse
período, “o capital concentrava-se rapidamente, os bancos passaram a controlar as
grandes empresas industriais e a produção em larga escala cresceu demaneira
assombrosa”. No entanto, o lucro adquirido era mal distribuído, pois apenas uma

minoria da população é que tinha acesso a essa renda. Ocasionou que a
superprodução entrou em total declínio. “Assim, a crise chegou à indústria, que
começou a demitir os operários, atingindo depois o comércio e o sistema financeiro”.
(CÁRCERES, 1996, p.370)
Essa crise econômica rendeu mais de 12 milhões de...
tracking img