Os novos arranjos familiares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1543 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

SANDRA MARA DE CERQUEIRA

OS NOVOS ARRANJOS FAMILIARES

Eunápolis-BA
2011
SANDRA MARA DE CERQUEIRA

OS NOVOS ARRANJOS FAMILIARES

TRABALHO APRESENTADO À UNOPAR - UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ, COMO REQUISITO PARCIAL PARA A OBTENÇÃO DE NOTA DA DISCIPLINA DE QUESTÃO SOCIAL NO BRASIL.Orientador:
Tutor Eletrônico:
Tutor de Sala:

Eunápolis-BA
2011
INTRODUÇÃO

Este estudo tem como objetivo realizar um estudo sobre os arranjos familiares contemporaneos que tem como objetivo estimular o exercício crítico e reflexivo do aluno de assistente social para que este reflixa sobre a prática doAssistente Social de forma significativa.

Para o desenvolvimento deste estudo foi realizado uma pesquisa de campo, ou seja, realizou-se uma entrevista com a Gestora do Bolsa Família da cidade de Eunápolis-BA, para obter dados da quantidade de familias atendidas pelo Programa do Bolsa Família no município.

A Gestora recebeu-nos prontamente e respondeu todos os dados solicitados, conformeexposto na primeira parte deste estudo, dados estes atualizados até o dia 23/05/2011 e também data que realizamos a entrevista com a Sra. Dadiva Ferraz Costa.

Já na segunda parte do trabalho foi realizado uma pesquisa em livros e revistas que abordam a questão dos novos arranjos familiares introduzidos na sociedade nos últimos anos.

1ª parte: levantamento de dados

Para o desenvolvimento desteestudo dirigimos até a Secretaria de Assistência Social do Municipio de Eunápolis e entrevistamos a Sra. Dádiva Ferraz Costa, Gestora do Bolsa Família da cidade de Eunápolis que prontamente respndeu todos os dados solicitados.

De acordo com a Gestora, existem no município 15.000 famílias cadastradas, 7.000 já são beneficiadas pelo Programa, 8.000 estão aguardando a análise e aprovação, destas7.000 famílias beneficiadas, 5.200 são de famílias monoparental feminina, 80% são chefiadas pela mães e 20% pelos avós.

Nota-se que em um município com 100.246 habitantes, conforme dados do IBGE/2010, existem um grande número de famílias cadastradas, apresentando dados que leva-nos a análisar que existem muitas famílias no municipio que necessitam de apoio das Políticas Públicas.

2ª ParteA família atualmente é reflexo de um passado que veio fragmentando os laços familiares, é produto da evolução histórica dos movimentos sociais políticos, como exemplo, a introdução da mulher no trabalho, as conquistas sociais, entre outros.

As relações no seio da família contemporânea foram e estão sendo inevitavelmente afetadas pelo papel e pelo status, que se modificam, das mulheres. Suamaior independência econômica, social e afetiva e também na sua igualdade política e legal contribuíram para uma relativa igualdade dentro da família.

O tradicional padrão patriarcal, onde o pai era o chefe da família, muito lógico numa unidade de produção, sendo a manutenção da família obrigatória pelo pai e que exigia direção e liderança, dificilmente sobreviverá numa família quepassou a desempenhar o papel importante como repositório de afetos.

Ainda que perdure o valor essencial da família tradicional que é o amor, dificilmente conseguirá sobreviver aos diversos avanços ocorridos e que vem ocorrendo cada dia mais. A tradicional divisão do trabalho dentro do lar, que refletia o status superior do homem, também foi substancialmente alterada, sendo este obrigado aexercer tarefas que antes eram apenas das mulheres.

Embora ainda exista uma evidente divisão entre as tarefas dos homens e das mulheres, percebe-se que os primeiros freqüentemente lavam pratos, trocam fraldas, manejam o aspirador de pó, fazem compras, entre outras atividades do lar, embora seja provável que isso se verifique com mais freqüência em certas fases do ciclo de vida familiar do...