Os empresarios do lixo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 159 (39653 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Os Empresários do Lixo
um paradoxo da modernidade
Análise Interdisciplinar
das Cooperativas de
Reciclagem de Lixo
Editora Átomo
ORELHAS


O livro trata de pesquisa sobre a formação das cooperativas de trabalhadores que se encontram no setor de reciclagem de lixo, no interior do Estado de São Paulo. Neste contexto, os ”empresários do lixo” vivem um paradoxo da modernidade, visto que,sendo cooperados, são seus próprios patrões, mas, ao mesmo tempo, encontram-se em um ambiente de precariedade das relações e condições de trabalho.
As cooperativas de reciclagem de lixo e a sociedade vêm tratando o cooperado como um agente de modernidade, enquanto seu trabalho gera uma sustentabilidade econômica para o meio ambiente ecologicamente perfeito. Mas, do ponto de vista das relaçõestrabalhistas, é resgatado um sistema que se pensava estar no passado da história do trabalho.
Foram estudados os sujeitos envolvidos na problemática do lixo, analisando-se sua participação no que tange aos aspectos sociais, econômicos e ambientais.
Preservar o meio ambiente e adotar políticas de desenvolvimento sustentável deixaram de ser um modismo ecológico para ser uma necessidade universal dapreservação da espécie humana na Terra. Seria difícil estudar o lixo sem relacioná-lo com uma proposta de desenvolvimento sustentável, ganhos ambientais e econômicos com a reciclagem.
Assim, espera contribuir para uma compreensão mais interdisciplinar das questões referentes ao lixo no Brasil, evidenciando-se sua viabilidade econômica, bem como sua gestão profissional, tal como é feito em outrospaíses que disso vêm tirando proveitos financeiros de ordem social e ambiental.

Quando o homem vai atrás de um objetivo, parece que toda a natureza conspira para que ele consiga alcançá-lo (Paulo Coelho). O que tenho visto é muita conspiração, mas só que ao contrário; é uma conspiração humana: muitas pessoas não estão conseguindo sequer sobreviver com dignidade, quanto mais alcançar um objetivomaior. E é por isso que dedico este livro àqueles que verdadeiramente constróem este mundo com seu sangue e sofrimento.
Prefácio

Este livro é o resultado de uma pesquisa realizada pelo Dr. Márcio Magera Conceição. Trata dum complexo temático totalmente atual, qual seja as cooperativas de recicladores de lixo. Nestas organizações se entrecruzam no mínimo duas problemáticas: a do meio ambienteurbano, ameaçado (entre outras causas) pelo crescimento ilimitado de lixo que a população urbana parece condenada a produzir; e a da precarização do trabalho, que atinge, qual epidemia, todos os países industrializados e semi-industrializados, como o nosso.
A questão do que fazer com o lixo urbano apresenta grande variedade de respostas, ou talvez seja melhor dizer, ”propostas”. Uma delas é oreaproveitamento do lixo, já que de acordo com Lavoisier: nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Em tese, não há nada do lixo que não possa ser retransformado em algo útil à humanidade, inclusive os materiais orgânicos, que podem ser reciclados como adubos ou como fonte de energia. Não obstante, a maior parte do lixo ainda agora não é reaproveitada mas incinerada ou enterrada, os doisprocedimentos sendo prejudiciais ao ambiente.

A razão do não reaproveitamento integral do lixo parece ligada à falta de incentivo econômico. O reaproveitamento de latinhas de alumínio é quase total, no Brasil, porque ele é lucrativo para as empresas fabricantes. Já o de muitos outros materiais incluídos no lixo ele não deve ser lucrativo, comparando-se o custo de fabricação do novo com o custo dereaproveitamento do usado e descartado. Mas, nem sempre a economia privada das empresas coincide com o interesse geral. Trata-se não só de reaproveitar matéria prima mas proteger o meio ambiente urbano do excesso de lixo, que está, por exemplo, na origem de inundações pelo hábito da população de jogar o lixo nos cursos d’água.

Isso significa que há um interesse público no reaproveitamento do...
tracking img