Obras de karl marx

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1188 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O método dialético
A noção moderna de dialética remete a Kant, mas é através de Hegel e Marx que a concepção dialética
se firma no pensamento social ocidental.
A dialética rompe com a concepção da filosofia tradicional e dominante até então que pressupunha a
existência de um mundo povoado de substâncias imutáveis. A dialética hegeliana, pelo contrário, afirma
a contradição, o conflito,como a própria substância da realidade, a qual se supera num processo
incessante de negação, conservação e síntese (tese, antítese e síntese).
Os fenômenos contêm em si um movimento intrínseco, são prenhes de negação de si. Toda oposição é
necessariamente uma relação, entre os termos antagônicos existe uma unidade fundamental, isto é: a
definição de qualquer um deles só se torna possíveldesde seu contrário o qual, ao mesmo tempo, o
constitui ontologicamente.
Aplicada aos fenômenos historicamente produzidos, a dialética cuida de apontar as contradições
constitutivas da vida social que resultam na negação de uma determinada ordem. Os defensores da
perspectiva dialética vêem nas contradições o motor da mudança social e da história. Para estes, um
fenômeno social deve sersubmetido à crítica de modo que suas potencialidades possam ser reveladas e,
assim, atualizadas numa forma mais evoluída.
Dialética idealista (Hegel) Dialética materialista (Marx e Engels)
Hegel, sendo um idealista, considera que são as
mudanças do espírito que provocam as da matéria.
Existe primeiramente o espírito que descobre o
universo, pois este é a idéia materializada. O
espíritoe o universo estão em perpétua mudança,
mas as mudanças do espírito é que determinam as
da matéria.
A importância primeira é dada à matéria: o
pensamento e o universo estão em perpétua
mudança, mas não são as mudanças das idéias que
determinam as das coisas. As idéias modificam-se
porque as coisas se modificam. 2
“Os filósofos limitaram-se a interpretar o mundo de distintos modos,cabe transformá-lo.”
Karl Marx
Através da crítica da sociedade capitalista, Marx identifica no proletariado o Sujeito capaz de promover
a inevitável superação dessa forma histórica de sociedade.
O materialismo histórico
Para Marx o ponto de partida para o entendimento da história da humanidade “são os indivíduos reais,
a sua ação e as suas condições materiais de existência, quer setrate daquelas que encontrou já
elaboradas quando do seu aparecimento, quer das que ele próprio criou.”
O método de abordagem marxiano foi chamado posteriormente de materialismo histórico.
De acordo com tal concepção, as relações materiais que os homens estabelecem, o modo como
produzem seus meios de vida, formam a base de todas as suas relações.
“...A forma como os indivíduos manifestam suavida reflete muito exatamente aquilo que são. O que
são coincide com a sua produção, isto é, tanto com aquilo que produzem como com a forma como
produzem. Aquilo que os indivíduos são depende, portanto, das condições materiais de sua produção.”
Todo fenômeno social ou cultural é efêmero e a análise da evolução dos processos econômicos e de
produção de conceitos deve partir doreconhecimento de que as formas econômicas sob as quais os
homens produzem, consomem e trocam são transitórias e históricas.
A produção e reprodução
Natureza e necessidades: a história
Para viver é necessário beber, comer, ter um teto onde se abrigar, vestir-se, etc. O primeiro fato
histórico é, pois, a produção dos meios que permitem satisfazer essas necessidades, a produção da
própria vidamaterial. Os homens, por meio da interação com a natureza e com outros indivíduos,
buscam suprir suas carências e, nessa atividade, recriam a si próprios e reproduzem sua espécie num
processo que é continuamente transformado pela ação de sucessivas gerações.
Os animais interagem com a natureza de forma inconsciente, não cumulativa, visando atender suas
privações imediatas, enquanto que o...
tracking img