Obesidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3848 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto









OBESIDADE















































SUMÁRIO


1. Introdução
2. Agente Etiológico
3. Fisiopatologia
4. Dados Epidemiológicos
5. Transição Nutricional
6. Sinais e Sintomas
7. Diagnostico
8. Tratamento
9. Conclusão
10. BibliografiaINTRODUÇÃO
A obesidade pode ser definida como o acúmulo excessivo de gordura corporal, fator que traz prejuízos à saúde, destacando-se as dificuldades respiratórias, problemas dermatológicos e distúrbios do aparelho locomotor, além de favorecer o desenvolvimento de Diabetes Mellitus tipo II, dislipidemias, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.
Éconsiderada uma doença de caráter multifatorial que se integra ao grupo de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis, que vem atingindo proporções epidêmicas tanto nos países desenvolvidos quanto naqueles em desenvolvimento. Sendo relacionada à alta taxa de morbidade e mortalidade.
Além disso a obesidade parece estar muito ligada à infância, pois é nesta fase principalmente, que adquirimos a maior parte dascélulas adiposas, responsáveis pelo armazenamento de gordura no nosso corpo.
Quanto maior o número de células adiposas desenvolvidas durante a infância, maior será a chance de se tornar um adulto obeso.

ETIOLOGIA
A etiologia da obesidade não é de fácil identificação, pois trata- se de uma doença multifatorial com uma complexa interação de fatores que podemos citar como: comportamentais,culturais, genéticos, psicológicos e fisiológicos.

FISIOPATOLOGIA
A fisiologia da obesidade ainda não está completamente esclarecida e os últimos avanços vêm ocorrendo no campo da biologia molecular, que muito tem auxiliado na elucidação desta doença (Escrivãoet al., 2000).
As pesquisas, neste sentido, geralmente seguem duas linhas de abordagem que são complementares: uma linha fisiológica-bioquímica em que se focam as variações ocorridas no balanço energético
e outra mais recente, da biologia molecular, que se compromete com o isolamento de genes específicos que controlam os diferentes fatores determinantes deste balanço energético (Warden & Wander, 1997). A obesidade é um distúrbio do metabolismo energético em que ocorre um armazenamento excessivo de energia sob a forma detriglicerídeos, no tecido adiposo.
Especialmente entre mamíferos, a habilidade em armazenar grandes quantidades de combustível, na forma de triglicerídeos, no tecido adiposo, permite a sobrevivência durante períodos prolongados de falta de alimento.
Os estoques de energia no organismo são regulados pela ingestão e pelo gasto energético. Quando há equilíbrio entre a ingestão e os gasto energético, o pesocorporal é mantido. Um pequeno balanço positivo acarreta baixo incremento de peso, mas o desequilíbrio crônico entre a ingestão e o gasto, levará à obesidade ao longo do tempo.
Pode-se dizer que os fatores causais da obesidade estão ligados à excessiva ingestão de energia, ao reduzido gasto ou à alterações na regulação deste balanço energético.
Os avanços no campo da biologia molecular começaram aocorrer a partir da observação de mutações em genes de camundongos obesos e, com isso, novas vias de regulação do peso corporal foram descobertas (Sánchez, 1997). Existem numerosos componentes já identificados que participam da regulação do peso corporal, mas os papéis precisos de cada um, ainda não foram determinados. Deste forma, serão abordados neste tópico desta revisão, apenas dois deles quesão a leptina e o neuropeptídeo Y, cujos mecanismos já estão relativamente bem esclarecidos.
A leptina é um hormônio protéico específico produzido e secretado pelo tecido adiposo, que funciona como um “adipostato”, referindo-se à Teoria Lipostática, que prediz que a composição e o peso corporal em humanos são determinados por interações entre fatores genéticos, ambientais, comportamentais e...
tracking img