Neoliberalismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 47 (11699 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Observatório Social do Nordeste - OBSERVANORDESTE

UM MARCO DO FUNDAMENTALISMO NEOLIBERAL: HAYEK E O CAMINHO DA SERVIDÃO1
Francisco Baqueiro Vidal*

RESUMO Este artigo discute aspectos teóricos centrais do neoliberalismo, em especial sua crítica contundente às intervenções do Estado nos campos econômico e social, promotoras de maior homogeneização relativa nas sociedades capitalistas. Seuponto de partida é a análise criteriosa de um trabalho considerado fundamental para o relançamento do próprio ideário liberal, sob nova roupagem (a neoliberal). A obra tomada como referência principal é O Caminho da Servidão, de Friedrich Hayek. Mas, para efeito das considerações aqui expostas, busca-se também auxílio em outras contribuições teóricas, do próprio Hayek, de outros autoresreconhecidamente engajados na causa liberal, bem como de críticos às idéias e propostas neoliberais. À luz de tais marcos analíticos, busca-se demonstrar determinadas fragilidades intrínsecas ao discurso (neo)liberal, as quais seguem, quase sempre, convenientemente escondidas, em virtude da própria hegemonia ideológica atual do neoliberalismo. Palavras-chave: neoliberalismo; liberal; intervenção estatal;planejamento; democracia.

ABSTRACT This article discuss central theoretical aspects of neoliberalism, specially its strong critics to the State interventions on the economic and social fields, which foment a relative homogenization on the capitalist societies. Its starting point is a judicious analysis of a work considered fundamental for the new launch of the liberal ideology, under a newappearance (the neoliberal). The work taken as main reference is The Road to Serfdom, from Friedrich Hayek. But, by effect of the considerations here exposed, it also looked for aid in other theoretical contributions from Hayek himself, from some other authors clearly engaged in the liberal cause, as well as from critics of the neoliberal ideas and proposals. Under the lights of such analytical frame, itlooks to show certain intrinsic fragilities on the neoliberal speech, which go ahead almost always conveniently hidden, by virtue of the current ideological neoliberal hegemony itself. Key words: neoliberalism; liberal; state intervention; planning; democracy. JEL P 110; P 160.
1

O autor agradece as considerações críticas do Prof. Dr. Nelson de Oliveira, da Universidade Federal da Bahia –UFBA, que naturalmente nenhuma responsabilidade tem pelos conteúdos expressos neste artigo. * Mestre em Administração pela UFBA. Trabalha na Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia. fvidal@seplan.ba.gov.br

2

Muito se tem escrito, já há alguns anos, sobre o neoliberalismo, para o bem ou para o mal, embora se reconheça que o próprio uso de termos como neoliberalismo e neoliberal é maispeculiar a uma literatura que os aborda de forma bastante crítica. Já aqueles que se identificam com suas teses, talvez pelo caráter eminentemente negativo que os críticos atribuem às mesmas, buscam em geral naturalizar o fenômeno neoliberal, escondendo-o por detrás de biombos como “superioridade dos mecanismos de mercado” e “imperativos da economia globalizada”, por exemplo. Mas, afinal, o que é oneoliberalismo? Do ponto de vista da sua fundamentação doutrinária, o neoliberalismo não difere muito do liberalismo clássico, formulado basicamente nos séculos XVIII e XIX. O individualismo exacerbado; o apego desmedido às liberdades individuais, sobretudo às econômicas, com destaque para o princípio da inviolabilidade da propriedade privada; a aversão a um tipo específico de igualdade (substantivae não apenas formal ou jurídica), ainda que relativa, deliberadamente produzida por determinada intervenção estatal; a apologia a uma ordem de intensa competição social, baseada numa suposta livre concorrência em um mercado igualmente livre; a visão do Estado como um “mal necessário”, donde a decorrência lógica é o ideal do Estado mínimo; a recusa à política enquanto possível contraponto a uma...
tracking img