Modernismo e di cavalcanti

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1460 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Arte Moderna
O movimento modernista começa em São Paulo, com a Semana de Arte Moderna de 1922: série de eventos (discursos, leituras de poemas, exposições, concertos) no Teatro Municipal.

Geração de 22
A hegemonia do academicismo começa a ceder em 1913, com a exposição do lituano Lasar Segall em São Paulo, com uma pintura que converge para o expressionismo e cubismo . Em 1917, AnitaMalfatti, retornando de viagem aos EUA, organiza uma exposição que desencadeia transformações radicais. Sua pintura, que também traz influências do cubismo e expressionismo, provoca reações iradas, como a do escritor Monteiro Lobato, que escreve em O Estado de S.Paulo o artigo Paranóia ou mistificação? SEMANA DE ARTE MODERNA – Entre 11 e 16 de fevereiro de 1922, também na capital paulista, realiza-se aSemana de Arte Moderna, com obras de Segall e Malfatti e mais as esculturas de Victor Brecheret, que havia chegado da Itália, onde estudara a arte de Auguste Rodin, as gravuras expressionistas de Osvaldo Goeldi e as pinturas de Tarsila do Amaral, que dava feição tropical ao futurismo europeu, Vicente do Rego Monteiro e Emiliano Di Cavalcanti. Outros artistas modernistas são Cícero Dias, primeiromuralista abstrato sul-americano, o cubista Antônio Gomide, o surrealista Ismael Nery e Alberto da Veiga Guignard, que reinventa a pintura paisagística brasileira. Em 1927, o arquiteto Grigori Warchavchik, russo naturalizado, constrói em São Paulo a primeira casa modernista do país, com linhas geométricas e nenhum ornamento. LASAR SEGALL (1890-1957) nasce na Lituânia, muda-se para a Alemanha, ondecursa a Academia de Belas Artes de Berlim. Um movimento de vanguarda (Freie Sezession) o obriga a desligar-se da Academia. Em 1912 embarca para o Brasil e no ano seguinte faz a primeira exposição expressionista do país. Volta ainda à Europa – é preso durante a 1ª Guerra – antes de instalar-se definitivamente em São Paulo. De natureza dramática, sua pintura ganha cores tropicais a partir de seucontato com a realidade brasileira.

ANITA MALFATTI (1896-1964), pintora brasileira, vai ainda jovem estudar pintura na Alemanha. Recebe influência não só do expressionismo germânico, mas também da arte de Paul Cézanne e do cubismo francês. Realiza, em 1914, sua primeira exposição individual no Brasil. Viaja no ano seguinte aos EUA, onde permanece até 1917. Quando retorna, expõe suas obras em SãoPaulo (O japonês, A estudante russa e O homem amarelo, entre outras), provocando grande polêmica e lançando as bases da Semana de Arte Moderna de 1922. VITOR BRECHERET (1890-1955) nasce na Itália e vem criança para o Brasil. Entre 1913 e 1919 estuda arte em Roma. Influenciado pelo estilo de Rodin, Milosevic e Moore, funda o modernismo escultórico brasileiro, expondo vinte esculturas na Semana deArte Moderna. No ano seguinte, realiza o projeto do Monumento às bandeiras, encomendado pelo governo de São Paulo. Na última década de vida funde a arte indígena brasileira e o abstracionismo de escultores como Brancusi. Outras obras: Ídolo (1921), Depois do banho (1945) e a série Pedras. TARSILA DO AMARAL (1890-1973) nasce em Capivari (SP). Em 1917 começa a estudar pintura com Pedro Alexandrino. NaFrança toma contato com Fernand Léger e participa do Salão dos Artistas Franceses. Integra-se, em 1922, ao movimento modernista brasileiro. Em 1926, casa-se com Oswald de Andrade e realiza sua primeira exposição individual em Paris. A partir de sua obra Abaporu, nasce o Movimento Antropofágico . Desenvolve, a partir de 1933, uma pintura mais ligada a temas sociais, como em Operários e Segundaclasse.

Geração de 1930-1945
Depois de uma primeira década de modernismo radical, a arte brasileira volta um pouco à temática social e a um estilo mais convencional. São desse período as telas e murais de Cândido Portinari, que lança mão de sintaxe ligeiramente cubista em obras de forte cunho social. O nacionalismo está presente na obra de Tomás Santa Rosa, que também foi grande cenógrafo do...
tracking img