Michael jackson = o mito

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 34 (8424 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 30 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Vice reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

PROGRAMA DE MESTRADO EM COMUNICAÇÃO

MÁSCARAS: ETMOLOGIAS ICONOGRÁFICAS NA REPRESENTAÇÃO IMAGÉTICA DE MICHAEL JACKSON

Qualificação apresentada ao Programa de Mestrado em Comunicação da Universidade Paulista – UNIP, como requisito parcial para obtenção de título de mestre em Comunicação, sob a orientação do Prof. DrEduardo Peñuela Cañizal.

Marcia Escudero

São Paulo
2011

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 03

CAPITULO I - O surgimento do mito – BEM 08

1. ABC 08
2. Bad 10
3. Dangerous 16

CAPITULO III - O Mito e a repercussão de sua morte – This is it 18


CONCLUSÃO 29

ANEXOS 30

BIBLIOGRAFIA 37

INTRODUÇÃO

Apresente pesquisa adveio da proposta em identificar como alguém como Michael Joseph Jackson, menino simples nascido em Gary, LA, em 29 de agosto de 1958, com aspirações simples, que passou por todos os tipos de expiações para chegar onde estava quando morreu. Seja da família ou da mídia, MICHAEL JACKSON foi tudo: mini-astro, representante da música, gênio, rei, astro, doente, vítima de abuso,aliciador de menores, louco, dependente de analgésicos, isto citando apenas alguns nomes que a imprensa divulga até hoje.

E até agora, 02 (dois) anos após sua morte, MICHAEL JACKSON continua presente na mídia da mesma forma, sua vida (e agora sua morte), não deixa de ser relatada e divulgada, em forma de livros, biografias, filmes, músicas, homenagens, sobre ele próprio, ou na forma de aparições dafamília, parceiros ou qualquer pessoa que esteve presente ou foi afetado por este ser humano incomum, que se utiliza da mídia para aparecer, usurpar de uma fama que não é sua.

MICHAEL JACKSON foi afetado pelo interesse comum desde os primórdios de sua infância, e essa transformação em mito que ele sofreu continua. Ele passou de vítima para réu e posteriormente a vítima, neste trabalho serámostrado como o mito, não só pelo advento de seu precoce desencarne, mas pelo que construiu por toda a vida e a mídia alardeou, mostrou e relatou com precisão quase cirúrgica, esmiuçando cada detalhe.

Mas o que é este processo de mitificação? O que é o mito? De acordo com Mircea Eliade (1986; 84-88), o mito original é o Sagrado, sempre relatará uma história sagrada, um acontecimento em tempooriginal e extraordinário, graças às obras de Entes Sobrenaturais. É um acontecimento especial, criação Sacra ou sobrenatural. Em resumo, o mito é algo divino, algo que irrompe a relação entre os seres como algo além de seu conhecimento.
Neste trabalho será apresentada outra espécie de mitificação, aquela criada pela mídia, muitas vezes com propósitos errôneos, que tratam do ser mitificado comoverdadeiro ser inatingível, que deixa a sua casca de ser humano simples para servir de exemplo, de objeto de adoração.

Mitos da mídia podem ser entendidos:

“Apesar de podermos sempre identificar suas raízes em algum mito original depois perdido, a estereotipia redutora predomina, e a função principal é a de impor modelos a serem reproduzidos em grande escala; ele tenta impor suas máscaras exatamenteà custa das diversidades regionais, das realidades ambientais e sociais. É a imagem de Carmem Miranda (ou da Xuxa ou da modelo que está em alta) representando a mulher brasileira para o mundo, a de Marilyn Monroe representando a mulher americana, a Lady Di representando a mulher inglesa, e assim por diante. (...) São mitos feitos para aumentar a sensação de impossibilidade de quem os vive ou dequem com eles entra em relação” (Contrera, 2003:110).

O que podemos concluir, até o momento é a existência de 02 (dois) tipos de mitos: o sagrado e o criado pela mídia, neste trabalho a proposta é analisar o mito MICHAEL JACKSON, focando principalmente a ação da mídia após a sua morte, onde ele passa de uma figura caricata, para o Rei do Pop, consagrado e ovacionado por infindas vezes....
tracking img