Metodologia do preconceito lingustico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3291 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A Metodologia do Preconceito Lingüístico


Os meios de comunicação, o cotidiano, a vida em fim constata que o preconceito lingüístico não é um mito, mas uma realidade dura e injusta, pois a ascensão social na sua escala mais alta não se dá nos que falam a norma culta, pois a própria comunidade educacional pouco faz esta reflexão, isto é, não respeita esta diversidade lingüística.
A falta dereconhecimento dessa diversidade lingüística induz o professorado a não perceber a variedade existente e conseqüentemente impõe a norma culta como se esta fosse a única língua falada no país.
Apesar da língua falada seja o português, existe grande diversidade e variedade não apenas pela extensão, mas pela desigualdade social existente.
Estudos comprovam que os falantes desprestigiado nacompreendem se quer as mensagens enviadas pelos que estão no poder, a exemplo disso a própria constituição brasileira não é compreendida pela maioria da população.
A idéia de que a língua portuguesa seja falada em todo país não significa que o português seja um bloco compacto e coeso e homogêneo. E necessário que o país tome consciência da verdadeira diversidade lingüística para que haja políticas comobjetivo de reconhecer, respeitar e se propaguem nas salas de aula.
Os não falantes da língua padrão deixam de fazer uso de seus direitos por na compreenderem os mesmos, já que são escritos na norma culta.
Urge que as escolas e todas as instituições desprezem a idéia de unidade do português já que o mesmo não existe.
Outra idéia incoerente é a de que só se fala bem o português em Portugal, estaé uma analise preconceituosa já em cada região com seus vícios e suas qualidades. O fato do país ter a sua mistura de raça, isto é a presença do negro e do índio significa para alguns autores que a raça não é pura e conseqüentemente a língua também não é pura, mas o resultado de uma mistura negativa. Facilmente encontra-se intelectuais lamentando o português matuto e caipira, enfatizando que nuncase falou tão mal o português no Brasil, mas a língua portuguesa se mantém muito bem escrita e falada por muita gente, nos últimos anos vem produzindo uma literatura reconhecida mundialmente e propagada internacionalmente pelo prestígio que tem a música popular brasileira. O brasileiro sabe português embora diferente daquele falado em Portugal que muitas vezes na compreendemos o que eles falam, noportuguês de Portugal, existem vogais e consoantes que não conseguimos ouvir, existem estudos que provam que o sistema pronominais do brasileiro e do português sã diferentes.
A ortografia de brasileiros e do português é quase a mesma, sendo possível compreendermos a língua escrita dos portugueses.
O ensino da língua no Brasil segue as normas da língua culta ditada por Portugal, para consideraruma expressão legítima, basta que seja usada em Portugal.
Alguns profissionais de outras línguas afirmam que s alunos na sabem português, como aprender outra língua, quando deveriam buscar as causas do fracasso verificar a metodologia empregada, confundindo língua e gramática normativa. O brasileiro sabe o que português, o português d Brasil, sua língua materna e o português sabe o português dePortugal, sua língua também materna. Nenhuma das duas formas são feias ou erradas, pois ambas atendem as necessidades lingüísticas das comunidades. Em 1934 Monteiro Lobato já enfatizava em seu livro Emília no País da Gramática que uma língua nunca para, evolui sempre, muda sempre, e que há gramáticos que querem fazer a língua parar.
Outras idéias preconceituosas e a de que português é uma línguadifícil, isto porque conforme a norma culta precisamos decorar conceito, regras que não significa nada para nós.
Quando o ensino da língua tiver como foco o uso oral, vivo e verdadeiro da língua portuguesa do Brasil, ninguém vai ter esta preocupação. Saber uma língua significa empregar as regras básicas do funcionamento dela. As crianças de 3 e 4 anos já domina as regras gramaticais de sua...
tracking img