Memoria de calculo de um estrutura metalica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2241 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Características mecânicas Comprimento (1) Área Ix Iy(1) Ixy(4) It(2) xg(3) yg(3) α(5) (m) Inicial Final (cm²) (cm4) (cm4) (cm4) (cm4) (mm) (mm) (graus) N52
Notas:
(1) (2) (3)

Nós

N46

0.467

4.58 11.70 11.70 7.05

0.36 10.90 -10.90

-45.0

Inércia em relação ao eixo indicado Momento de inércia à torção uniforme Coordenadas do centro de gravidade (4) Produto de inércia (5) É oângulo que forma o eixo principal de inércia U em relação ao eixo X, positivo no sentido antihorário.

Flambagem Plano ZX β LK Cb 1.00 0.467 Plano ZY 1.00 0.467

Flambagem lateral Aba sup. 0.00 0.000 1.000 Aba inf. 0.00 0.000

Notação: β : Coeficiente de flambagem LK: Comprimento de flambagem (m) Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR8800:2008, Artigo 5.3.4) O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ: Onde: λ : Índice de esbeltez. λv : Sendo: Ku—Lu: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo U. Ku—Lu : Kv—Lv: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo V. Kv—Lv : ru,rv: Raios de giração emrelação aos eixos principales U, ru : V, respectivamente. rv :
λ = K⋅L r

46.3

λu :

23.1 46.3

0.467 0.467 2.02 1.01

m m cm cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2) A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3) Deve satisfazer:

η:

0.135

O esforço solicitante de cálculodesfavorável produz-se no nó N52, para a combinação de ações 1.5—PP+1.5—CP1+1.5—CP2+1.05—SCU1+1.05—SCU2+1.05—SCU3+1.4—V2. Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser determinada pela expressão: Nc,Rd = χ ⋅ Q ⋅ A g ⋅ fy γ a1 Nc,Rd : 9.469 Nc,Sd : 1.281

Onde: χ: Fator de redução total associado àresistência à compressão. Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Ag: Área bruta da seção transversal da barra. fy: Resistência ao escoamento do aço. γa1: Coeficiente de segurança do material. Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)
2

χ: Q: Ag : fy : γa1 :

0.892 1.000 4.58 2548.42 1.10

λ 0 ≤ 1.5 → χ = 0.658λ0
Onde: λ0: Índice de esbeltez reduzido.
λ0 = Q ⋅ A g ⋅fy Ne

χ:

0.892

λ0 :

0.521

Sendo: Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Ag: Área bruta da seção transversal da barra. fy: Resistência ao escoamento do aço. Ne: Força axial de flambagem elástica. Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E) A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção transversal monossimétrica, cujo eixoprincipal U é o eixo de simetria, é dada pelo menor valor entre os obtidos por (a) e (b): (a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de inércia V da seção transversal:

Q Ag fy Ne

: : : :

1.000 4.58 2548.42 42.932

Ne :

42.932

Nev =
Onde:

π2 ⋅ E ⋅ Iv

Nev :

42.932

(Kv ⋅ L v )

2

Kv—Lv: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo V. Iv: Momento deinércia da seção transversal em relação ao eixo V. E: Módulo de elasticidade do aço. (b) Para flambagem por flexotorção:
Neu + Nez = 1 − (u r )2  2⋅ 0 0  
2   4 ⋅ Neu ⋅ Nez ⋅ 1 − (u0 r0 )      ⋅ 1 − 1 − 2  Neu + Nez ) (    

Kv—Lv : Iv : E:

0.467 4.65 2038736

Neuz :

173.271

Neuz

Onde:

Neu =

π2 ⋅ E ⋅ Iu

Neu :

173.271

(Ku ⋅ L u )

2

Sendo:Ku—Lu: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo U. Iu: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo U. E: Módulo de elasticidade do aço.
Nez =  1  π2 ⋅ E ⋅ Cw ⋅ + G ⋅ J 2 2 r0  (Kz ⋅ L z )   

Ku—Lu : Iu : E: Nez :

0.467

18.75 2038736



Sendo: Kz—Lz: Comprimento de flambagem por torção. E: Módulo de elasticidade do aço. Cw: Constante de...
tracking img