Mecanismo do glifosato

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2225 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
MECANISMO DE AÇÃO DOS HERBICIDAS E SUA RELAÇÃO COM A RESISTÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS A HERBICIDAS

JOSÉ CLAUDIONIR CARVALHO[1]
RAMIRO F. LOPEZ OVEJERO[2]
PEDRO J. CHRISTOFFOLETI[3]

1. Introdução
O uso de herbicidas é a prática dominante no controle de plantasdaninhas. A seleção de populações de plantas daninhas resistentes a herbicidas surgiram com maior intensidade a partir dos anos 80, com o desenvolvimento de produtos altamente eficientes e seletivos, porém sensíveis ao problema da resistência, como os inibidores da ALS e ACCase. O mecanismo de ação é a forma específica pela qual um herbicida interfere de modo significativo em determinado processobiológico (Kissmann, 2003). A seguir são discutidos os mecanismos de ação dos herbicidas que apresentam alto e médio risco de seleção de biótipos resistentes.

GRUPO A - Herbicidas inibidores da síntese de lipídeos (inibidores da ACCase)

Os ariloxifenoxipropionatos e ciclohexanodionas são dois grupos químicos de herbicidas utilizados para o controle de gramíneas perenes e anuais, emcondições de pós-emergência. Esses herbicidas são geralmente recomendados para culturas pertencentes à classe das dicotiledôneas (Vidal & Fleck, 1997; Christoffoleti, 2001). Apresentam como mecanismo de ação a inibição ACCase (Acetil Coa carboxilase), que é uma das enzimas responsável pela síntese de ácidos graxos. A enzima atua na fase inicial da síntese de ácidos graxos, que são constituintes doslipídios que ocorrem nas membranas de células e organelas. Esses lipídios regulam a permeabilidade seletiva (Kissmann, 2003). Os herbicidas deste grupo são inibidores reversíveis e não competitivos da enzima ACCase (Vidal & Merotto, 2001). Neste grupo os herbicidas podem desenvolver resistência cruzada, porém isso nem sempre acontece. Por exemplo, os produtos como sethoxydim e tepraloxidim não temapresentado resistência cruzada. Assim o grupo deveria ser subdividido em A1 e A2 (Kissmann, 2003). No mundo, foram encontrados 32 biótipos resistentes a esse grupo de herbicidas (Weed Science, 2003).
GRUPO B - Inibidores da acetolactato sintase (ALS)
Segundo Christoffoleti (1997), os herbicidas inibidores da acetolactate synthase (ALS) ou acetohydroxyacid synthase (AHAS) pertencem a diversosgrupos químicos, dentre eles as sulfoniluréias, imidazolinonas e triazolopirimidinas e pirimidiloxitiobenzoatos. Estes herbicidas apresentam como mecanismo de ação a inibição da síntese dos aminoácidos alifáticos de cadeia lateral: valina, leucina e isoleucina (Trezzi & Vidal, 2001). A via biossintética desses três aminoácidos apresenta em comum o uso de uma enzima chamada ALS, que participa na faseinicial do processo metabólico, catalizando uma reação de condensação (Christoffoleti, 2001). Os herbicidas inibidores da ALS impedem que esta reação de condensação aconteça provocando, como conseqüência, o bloqueio na produção dos aminoácidos valina, leucina e isoleucina. Quando o herbicida encontra-se presente dentro da célula de uma planta susceptível, ocorre uma inibição não competitiva peloherbicida com o substrato, de tal maneira que não ocorre a formação do acetolactato, indispensável, para que as demais reações prossigam resultando na formação dos aminoácidos. A paralização na síntese dos aminoácidos leva a uma interrupção na divisão celular e paralização do crescimento (Kissmann, 2003). Um biótipo de planta daninha é resistente aos herbicidas inibidores da ALS devido a umaalteração do gene responsável pela codificação desta enzima (Shaner, 1991). No mundo, foram encontrados 79 biótipos resistentes a esse grupo de herbicidas (Weed Science, 2003).

GRUPO C - Herbicidas inibidores do fotossístema II
Os herbicidas atualmente em uso e que apresentam mecanismo de ação de inibição da fotossíntese são pertencentes a três principais grupos químicos: triazinas, uréias...
tracking img