Literatura portuguesa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4522 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
POESIA TROVADORESCA GALEGO-PORTUGUESA
ORIGENS DA POESIA TROVADORESCA
A origem provençal da cantiga d’amor foi declarada pelos próprios trovadores (ver cantiga: “Quer’eu em maneira de proençal”) e, nas suas formas e temas mais elaborados, bem pode reconhecer-se a influência dos modelos. Causas da influência provençal nas cantigas de amor: as cruzadas (os jograis, acompanhando os senhores feudaisa caminho de Jerusalém, passavam pelo porto de Lisboa); o casamento entre nobres (como os de D. Afonso Henriques, D. Sancho I e D. Afonso III com princesas ligadas à Provença); a influência do clero e suas reformas; a vinda de prelados franceses para bispados na Península Ibérica; a peregrinação de portugueses a Santa Maria de Rocamador, no sul da França, e de trovadores dessa região a Santiagode Compostela. Também a cantiga satírica, em certas formas e temas, convida ao confronto com a poesia satírica provençal, sobretudo com o sirventés moral ou político. Há, porém, um género, a cantiga de amigo, que não se explica a partir dos modelos do sul de França. Para as suas características é necessário encontrar outra fonte. As cantigas de amigo constituem uma poesia autóctone, de origempopular e carácter tradicional. Esse ponto de partida foi identificado com uma tradição autóctone, uma forma ibérica de canção de mulher, anterior à influência provençal. A descoberta das "kharja", em 1948, veio confirmar essa hipótese. Temática e metricamente próximas das cantigas de amigo galego-portuguesas, evidenciando, desse modo, a existência de um fundo comum de lírica românica de que derivariamambas as formas, a "kharja", cultivada pelos poetas andaluzes entre os séculos XI e XIII, constitui a primeira manifestação literária documentada em língua vulgar. A "kharja" é uma pequena composição poética que surge no final de uma composição mais extensa e culta, escrita em árabe ou hebreu, a "muwashshah". As "kharja" apenas em língua moçárabe 1 são uma pequena minoria no corpus totalconhecido. Geralmente são textos em árabe dialetal com palavras ou frases em língua romance. Para termos uma ideia, num dos estudos de referência sobre este tema, com edição e comentário de todas as "kharja" conhecidas (Poesía dialectal árabe y romance en Alandalús, Gredos, 1997, Federico Corriente), as "kharja" de "muwashshah" apenas em árabe ocupam 110 páginas, enquanto as bilingues (árabe ou hebraico +frases moçárabes) ocupam menos de 50 páginas.

1

Moçárabes: designação dada às populações cristãs que viveram em território dominado por Muçulmanos, embora conservando a maior parte das suas tradições e crenças.

1

José Carreiro, http://lusofonia.com.sapo.pt/, 2011-11-30

Para além desta tese para explicar a origem das cantigas de amigo, há também outras teorias, a saber: a tesefolclórica (fruto da poesia criada pelo povo com um carácter espontâneo, anónimo, primitivo, popular, afastado da cultura dominante); tese etnográfica (adequada ao ritmo do trabalho); tese latino-medieval (influência da literatura latina produzida na Idade Média) e a tese litúrgica (originada da poesia religiosa, em estreita ligação com a cultura dominante).

INTÉRPRETES DA POESIA TROVADORESCAGALEGO-PORTUGUESA
Jogral
A atividade do jogral desdobrava-se em múltiplas funções que, com o objetivo de recrear um público, combinavam os jogos histriónicos, o acompanhamento musical, a interpretação de composições alheias ou próprias, a declamação de narrativas épicas, etc. A importância do jogral enquanto meio de transmissão cultural, entre comunidades e entre gerações, deve ser enfatizada tendoem conta o peso da oralidade sobre a escrita no ocidente medieval. Era, no século XIII, um músico-poeta (por vezes confundia-se com o jogral, só que vivia sob a proteção de um nobre e andava de corte em corte). Cavaleiro-trovador que andava de corte em corte (era da baixa estirpe e fazia-se acompanhar de um jogral ou substituía-o). Na poesia trovadoresca galego-portuguesa, a função do segrel...
tracking img