Libras

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2106 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE CAMILO CASTELO BRANCO





KARINE DE ANDRADE KALFAS







IDENTIDADE SURDA: CULTURA E LÍNGUA DE SINAIS








Setembro – 2012
São Paulo - SP



Introdução
Essa pesquisa fará uma abordagem acerca da cultura dos surdos no Brasil.
Antigamente no Brasil não havia uma ideia pública sobre a educação dos surdos e seus próprios familiares não viam anecessidade de educa-los. Essa situação mudou com a fundação das associações de surdos no Brasil que deu inicio a um novo capitulo nas relações políticas entre surdos e ouvintes. A grande maioria dessas associações espalhadas pelo Brasil se iniciou a partir de reuniões entre surdos feitas nas ruas e praças da cidade. Essas associações, não servem apenas para ponto de encontros, mas também como divulgadorasda língua de sinais e como identificadoras da capacidade do surdo como cidadão.
Ao longo do tempo depois de muitas lutas vividas por melhores condições de trabalho, vida, educação, saúde, dignidade, cidadania e pelo reconhecimento da Língua Brasileira de Sinais os surdos formaram uma cultura própria centrada principalmente em sua forma sinalizada de comunicação, com modelo cultural diferentedos ouvintes. Entende-se cultura surda como a identidade cultural de um grupo de surdos que se define enquanto grupo diferente de outros grupos.
Precisamos quebrar o paradigma da deficiência e enxergar as restrições de surdos e ouvintes. Pois, enquanto o ouvinte não é capaz de conversar em local barulhento, a menos que grite, o surdo se comunica sem problemas. Além disso, o ouvinte não conseguecomer e falar ao mesmo tempo, educadamente, e sem engasgar, enquanto o surdo não sofre essa restrição. Dessa forma, se considerarmos que os surdos não são ouvintes com defeito, mas pessoas diferentes, estaremos aptos a entender que a diferença física entre pessoas surdas e pessoas ouvintes gera uma visão não limitada, não determinística de uma pessoa ou de outra, mas uma visão diferente de mundo, umjeito ouvinte de ser e um jeito surdo de ser, que nos permite falar numa cultura de visão e noutra de audição.
Cultura e identidade surda
No contexto de pessoas surdas cultura representa uma identidade, porque estas possuem uma cultura uma vez que tem uma forma peculiar de aprender o mundo que os identificam como tal. A cultura surda é multicultural, pois partilha com a comunidade ouvinte doespaço físico e geográfico, da alimentação e do vestuário, entre outros hábitos. A cultura surda não é uma imagem velada de uma hipotética cultura ouvinte, não é seu revés, nem uma cultura patológica.
“É necessário manter uma posição intercultural mesmo que seja de riscos. A identidade surda se constrói dentro de uma cultura visual. Essa diferença precisa ser entendida não como uma construçãoisolada, mas como construção multicultural”.
(Perlin, op. cit.).


Surdo não é deficiente, é apenas diferente, com signos diferentes de ouvintes. Os surdos têm signos visuais enquanto os ouvintes têm signos auditivos. As pessoas surdas tem a sua própria língua, a língua de sinais. Essa língua permite queo surdo crie sua própria linguagem interior, entenda os conceitos da vida, e também permite que o surdo tenha formação de linguagem e pensamento, tenha orgulho de sua diferença.
A Influência do poder ouvintista prejudica a construção da identidade surda, uma vez que o poder ouvintista lhes impõe regras fazendo que a identidade surda seja multifacetada. Levando em conta os fatores sociais,familiares e o poder de determinação do ouvinte na construção da identidade surda, surgem categorias de identidades surdas uma vez que, existem diferenças entre os sujeitos surdos.

Língua de sinais – LIBRAS
A língua de sinais brasileira foi considerada, a partir de meados de 2002, oficializada como língua no Brasil, tendo assim, seu status linguístico reconhecido. Quando nos referimos às pessoas...
tracking img