Influencia midiaticas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2616 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
CLASSES ASPECTUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL NO ENSINO SUPERIOR




Leandro ferreira do AMARAL[1] - (UNIANDRADE)


Introdução

A leitura de textos acadêmicos evidencia o caráter cientificista da linguagem e a vital inter - relação disciplinar constante destes. Não obstante, a produção textual no âmbito do Ensino Superior ocorre de modo contextualizado e gesta a construção deconhecimentos plurais advindos de pesquisa e experiência teórico - prática na área abordada.
Nesta perspectiva é plausível a análise e reflexão sobre os métodos por que se constrói a subjetividade, dentro das classes aspectuais na produção textual e de que maneira esta interfere na construção de conhecimentos no meio acadêmico e, posteriormente, na carreira profissional.
Pode - seconceber que a leitura e a produção textual são frutos do trato contextual e interdisciplinar, portanto todos os meios midiáticos, verbais e não-verbais se inserem neste ínterim, evidenciando as características inter - relacionais da linguagem e suas subjetividades.
Toda subjetividade pertinente ao campo da leitura e produção de textos perpassa uma metodologia compreendida na abordagemdidático - pedagógica de que se vale o ensino, desde as séries iniciais até o Ensino Superior, mas que neste último encontra o ápice dos conceitos de contextualização técnica e científica. Daí a importância do entendimento de como as conjunções, os verbos, os substantivos e os adjetivos se fazem presente na produção textual acadêmica e de que modo esta poderá ser trabalhada para que seja aperfeiçoada ereceba tratamento científico adequado.
Este artigo busca a formulação de uma visão, aprimorada, cabível para o ensino da produção textual no Ensino Superior e a formação do leitor, ressaltando os fatores aspectuais, relacionais, intertextuais e interdisciplinares presentes no trato leitura – produção - ensino.
Bem como refletir sobre o fenômeno da produção textual e formação doleitor, através de novas perspectivas pedagógicas de intervenção na elaboração textual e construção de conhecimento oriunda desta.

1. A produção textual no ensino superior


Os estudos acadêmicos seguem os pressupostos metodológicos aplicáveis à interdisciplinaridade contextual das múltiplas áreas da linguagem. Sendo assim, a produção textual é manifestamente fator de desencadeamento deanálise holística de foro interpessoal.
A subjetividade, neste ínterim, ocupa espaço importante na construção de métodos de reflexão e abordagem da realidade. A estética, a música, a literatura em geral são provenientes de uma imersão nos valores semânticos da linguagem e persuadem o expectador – ouvinte - leitor a lançar mão de sua própria subjetividade afim de que apropinque doentendimento do mundo que o cerca.
Dada a relevância do fator semântico das classes aspectuais e da subjetividade na produção textual no Ensino Superior, é plausível explorar o uso dos Topoi, conforme especifica Furlanetto:

“O conceito de topos, que aparece como um elemento regulador “entre a língua e o discurso”, matizou e deu maior consistência à teoria da argumentação (v.DUCROT, 1989, 2002). Os valores argumentativos estariam vinculados a certos elementos da estrutura linguística que são desencadeadores de topoi, legitimando a aplicação de um ou vários topoi, que conduzem a outro enunciado implicando novo conteúdo – envolto em valores.”


Ainda de acordo com Furlanetto:

“Compreender a argumentação na língua implica admitir que elafunciona sob o princípio do topos: nesse sentido, os “operadores” em geral (não apenas conectivos, mas também nomes substantivos, adjetivos e advérbios) são partículas da língua que remetem aos topoi (manifestando pontos de vista de enunciadores)”


A necessidade de compreender tecnicamente a produção textual no Ensino Superior está voltada à prática cientificista de pesquisa e até...
tracking img