Inclusao e corporeidade no cotidiano da pratica docente

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3207 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA

PATRÍCIA. N. DOS SANTOS FILAGRANA

RU: 344221, CA JOSÉ BOITEUX

ROSILENE HEINZEN

RU:340638, CA JOSÉ BOITEUX

INCLUSAO E CORPOREIDADE NO COTIDIANO DA PRATICA DOCENTE

-FUNDAMENTOS PARA AS NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS,

-PESQUISA E PRÁTICA PROFISSIONAL- EDUCAÇÃO ESPECIAL,

- METODOLOGIA DO ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA,

- ORGANIZAÇÃOPEDAGÓGICA ESPAÇOS EDUCATIVOS,

JOSÉ BOITEUX

2009

FACULDADE INTERNACIONAL DE CURITIBA

PATRÍCIA. N. DOS SANTOS FILAGRANA

RU: 344221, CA JOSÉ BOITEUX

ROSILENE HEINZEN

RU:340638, CA JOSÉ BOITEUX

INCLUSAO E CORPOREIDADE NO COTIDIANO DA PRATICA DOCENTE

-FUNDAMENTOS PARA AS NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS,

-PESQUISA E PRÁTICA PROFISSIONAL- EDUCAÇÃO ESPECIAL,

- METODOLOGIA DOENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA,

- ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA ESPAÇOS EDUCATIVOS,

Produção de Aprendizagem
apresentada à UTA Corporeidade e Inclusão, no Curso de Pedagogia à
Distância da Faculdade Internacional
de Curitiba.Tutor Local: RITA DAROLT FUSINATO
Centro Associado: JOSÉ BOITEUX

JOSÉ BOITEUX

2009

SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO 03
2 CORPOREIDADE E INCLUSÃO NA PRATICA DOCENTE 05
3.CONCLUSÃO.........................................................................................................10
4.REFERÊNCIAS .12
APÊNDICE - QUESTÕESINDIVIDUAIS...................................................................14

1.INTRODUÇÃO

Diante das diversas pesquisas sobre as questões de pessoas com NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS, esta U.T.A CORPOREIDADE E INCLUSÃO tem como objetivo analisar o ser humano, apresentamos uma retrospectiva histórica do corpo humano deficiente no passado, confirma-se a exclusão a que eram renegados, inferiorizados, subestimados,estigmatizados por décadas. No presente, evidencia-se a eficiência dessas pessoas a partir do momento em que lhes são dadas oportunidades de participação.

Para ROSILENE HEINZEN e PATRICIA B. N. S. FILAGRANA acadêmicas do curso de pedagogia, presumi-se a inclusão como pessoas diferentes, respeitadas em sua complexidades, compreendidas como seres humanos que, em sua totalidade pensam, sentem,aprendem, deslocam-se através do movimento no tempo e no espaço com uma intenção, vivem a própria história em busca da superação, transcendendo a cada oportunidade vivida.

Analisar o ser humano simbolizado sob o olhar da Educação Física, com base na teoria da Motricidade Humana e sua relação com o presente, buscamos compreender, a evolução do desenvolvimento resgatando a história da própriaEducação que comprova os processos excludentes, pelos quais passaram as Pessoas Deficientes até a sua efetiva participação. Os professores das disciplinas - Fundamentos para as Necessidades Educativas Especiais(Prof Sueli Fernandes) - Pesquisa e Prática Profissional – Educação Especial (Profª Regiane Banzzatto Bergamo) Metodologia do Ensino de Educação Física (Profª Nezilda Leci Gody Gonçalves)Organização Pedagógica Espaços Educativos ( Profª Daniele Farfus) propõem uma relação dialógica, ação reflexiva e trabalho cooperativo entre o ensino regular e o especial para que sejam identificadas as necessidades especiais dos alunos, as de ensino, e a criação de estratégias didático-metodológicas que promovam a aprendizagem e favoreçam o acesso ao conhecimento, aos instrumentos materiais eculturais produzidos pela comunidade.

A prática pedagógica do professor alfabetizador exige dele uma formação alicerçada em saberes docentes, requeridos na alfabetização de crianças, jovens e adultos. Nesse trabalho, defendemos a tese de que o curso de Pedagogia é o lócus, por excelência, para essa formação pensamos que, embora insuficiente, a formação do professor nessa perspectiva é...
tracking img