Identidade

O homem de nosso tempo vem passando por um momento muito crítico de sua existência, momento que pode ser caracterizado da seguinte forma: a crise doconhecimento de si. Para este momento, cabe citar aqui, as palavras do filósofo alemão Max Scheler: “O homem tornou-se mais problemático para si mesmo queem nossos próprios dias”.

O processo de construção da identidade do homem no pensamento filosófico dar-se no momento em que elequestiona o pensamento mítico e sua construção social. Ou seja, o homem já não é mais concebido ou pensado a partir da realidade dos deuses, dos seus desejos ecaprichos, mas sim pela sua capacidade de pensar a si mesmo. O próprio homem assume o protagonismo da construção e busca de sua própria identidade.Quem inaugura essa nova fase do pensamento antropológico grego é Sócrates, que por ironia, que também é chave do seu método, traz essa novidade atravésde um oráculo “divino”: Conhece-te a ti mesmo. Temos neste momento uma nova maneira de pensar o homem, ele que não recorre mais aos deuses para pensar asi mesmo, o seu mundo, sua realidade mas tão somente a sua razão.
O método que pretendemos utilizar nesse processo de descoberta será o que o próprioSócrates utilizava: a maiêutica. Não lançaremos mão desta ferramenta de maneira irresponsável, lançando perguntas ao ar, mas sim de maneira consciente,com o intuito da construção da identidade, ou pelo menos, desperta no estudante um curiosa inquietação sobre os pre-conceitos que ele mesmo tinha de si.