Humanismo do outro homem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1193 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE ATUAL DA AMAZÔNIA
CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO

BRUNO DA SILVA SAURO

RESUMO DO LIVRO “HUMANISMO DO OUTRO HOMEM”

BOA VISTA – RR
2011.1
BRUNO DA SILVA SAURO

RESUMO DO LIVRO “HUMANISMO DO OUTRO HOMEM”

Trabalho acadêmico apresentado como requisito para a obtenção de nota na disciplina Direito ProcessuaI Constitucional, da turma 6.DIV-A,ministrada pela Profª. Chiara Michelle Ramos Moura da Silva.

BOA VISTA – RR
2011.1

INTRODUÇÃO

O Humanismo é a vertente filosófica que põe o homem no patamar maior, analisando diversos aspectos que lhe são concernentes, dentre eles: Ética, Liberdade e, principalmente, a Racionalidade, bem como os mecanismos dos pensamentos e ações humanos.

Sendo uma doutrina filosófica ampla,o Humanismo dividiu-se em vários segmentos: Marxista, Secular, Religioso, Renascentista, Positivista comtiano, logosófico. Ademais, destacam-se vários adeptos do Humanismo: Gianozzo Manetti, Marsílio Ficino, Erasmo de Roterdão, Carlos Bernardo González Pecotche, Francesco Petrarca, François Rabelais, Pico de La Mirandola, Thomas Morus, Andrea Alciati, Auguste Comte.

Um deles é EmmanuelLévinas. Nascido em 1906, na cidade de Kaunas, em 30 de novembro de 1906, emigrou para a França, aonde realizou seus estudos filosóficos. A partir de então, aprofundou-se na fenomenologia, sob a tutela de Martin Heidegger e Edmund Husserl.

O pensamento levinasiano se consiste na instauração de uma moral à altura da grandeza do homem, coincidindo sua existência com o outro – o próximo –,partindo do princípio que a Ética e a filosofia primeira.

Assim, o presente trabalho resumirá a obra de Emmanuel Lévinas intitulada “Humanismo do outro homem”, dissertando sobre as idéias descritas no livro e interligando-as ao pensamento levinasiano.

RESUMO DO LIVRO “HUMANISMO DO OUTRO HOMEM”

A presente obra é da autoria de Emmanuel Lévinas, da Editora Vozes, ediçãoúnica, com 131 páginas. O tema abrangido pelo livro diz respeito à correlação entre os princípios humanistas e os pensamentos levinasianos, priorizando o entendimento do homem através da percepção e análise do próximo, do Outro, dividindo-se em três capítulos principais: A significação e o sentido; Humanismo e an-arquia; e Sem identidade

No primeiro capítulo do livro, o autor fala sobre asignificação e receptividade, ou seja, o modo como o homem compreende o significado das coisas e como o mesmo adota ou não os respectivos significados como verdadeiros ou falsos.

Primeiramente, o autor afirma que, tanto significado quanto receptividade, estão intimamente ligadas às meras sensações físicas humanas, advindas dos sentidos: Visão, olfato, tato, paladar e audição.

Poroutro lado, o autor afirma que, para compreender, é necessário se desprender dos significados limitantes pré-estabelecidos, buscando ir mais além do que já convencionado. Além disso, procurar sobre a essência sobre aquilo que vê e pensa compreender.

Dessa forma, se alcançará ao entendimento não ‘total’, mas a várias ‘totalidades’, tendo em visto também que a verdade não é absoluta, masdepende exatamente do processo de compreensão individual.
O autor também chama a atenção quanto à significação econômica, ou seja, aquela que está necessariamente ligada ao pragmatismo econômico ou, de alguma forma, a algum benefício ao homem. Nesse aspecto, o autor, novamente, frisa a importância do compreender desprendido de objetividade, mas carregado de fascínio pelo entendimento domundo ao seu redor.

A partir de então, será possível chegar não ao sentido único das coisas, mas a um entendimento ainda mais amplo, pois, a compreensão vital não é aquela que delimita o porquê das coisas, mas aquela que simplesmente contempla e descreve o que vê e como vê.

Em seguida, o autor afirma que a filosofia primeira é a Ética e que, a partir dessa, é possível a...
tracking img