Historia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1023 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
As treze colônias e a formação dos Estados Unidos
Quatro séculos de história
Estudaremos a história colonial do que mais tarde seria os Estados Unidos, o processo de independência do país, a expansão territorial em direção ao Oceano Pacífico e o significado desse movimento expansionista para a população indígena. Com esse estudo, poderemos avaliar se o protagonismo atual desse país temrelação com as condições que marcaram sua formação histórica desde a chegada dos primeiros núcleos colonizadores.
Ingleses na América
Repulsão e atração
O primeiro grande grupo de ingleses que chegaram á América para iniciar a colonização sistemática tornou-se conhecido como pais peregrinos. Eles eram puritanos e fugiam das perseguições religiosas queocorriam na Inglaterra do início do século XVII. Não foram os primeiros ingleses a viver no novo continente, mas são geralmente celebrados como os fundadores da nova colônia.
Os puritanos defendiam reformulações amplas na organização da Igreja e a adoção, pelos fiéis, de atitudes cotidianas rigorosas que além de seu significado religioso, definiam uma forma de conhecer o trabalho e a busca dosucesso financeiro. Perseguidos por anglicanos e outros protestantes, muitos puritanos sentiram-se rejeitados por uma Europa que acreditavam ser decadente optaram pela fuga para a América.
Eleitos de Deus
Aqueles que se interessava por sair da Inglaterra, no entanto, nem sempre tinham condição de pagar a longa viagem pelo Oceano Atlântico. Além disso, a própria coroa inglesa não tinha os recursosnecessários para promover a travessia oceânica.
As treze colônias
Novos núcleos de ocupação inglesa foram fundados no litoral atlântico até se formarem, na primeira metade do século XVIII, as treze colônias da América inglesa.
Muitos desses pioneiros equiparavam sua ação a um empreendimento religioso e consideravam-se escolhidos por Deus para essa tarefa: o “povo eleito”, que cruzara omar para corrigir os erros que a Europa cometera. A ideia de que eles agiam em nome de Deus não foi apenas uma justificativa para seus atos, mesmo quando destruíam ou guerreavam,mas revelava, sobretudo, motivações religiosas da colonização, que se associavam aos interesses comerciais e, muitas vezes, os inspiravam.
As colônias e a metrópole
Essa autonomia era um dos poucos pontos em comum entreas treze colônias. Elas não mantinham nenhum vínculo obrigatório entre si, e a metrópole não impunha um governo centralizado que as coordenasse ou dirigisse. O grau de autonomia de que os colonos das três regiões (norte, centro e sul da América do Norte ) desfrutavam permitiu o surgimento de modelos de colonização bastante distintos.
A colonização do norte e do centro
As colônias do norte e docentro tiveram colonização bastante diferente não só do restante do continente americano, mas da própria América do norte. As condições climáticas e de solo dessas regiões inviabilizavam a agricultura extensiva praticada nas colônias do sul.
As colônias do sul
A colonização inglesa do sul da América do norte foi bastante diferente daquela ocorrida no norte e no centro. No sul, a economia eraessencialmente agrária e exportadora. As cidades não tinham grande importância, e as manufaturas e o comércio local eram pouco expressivos. Prevalecia o sistema de plantation, sistema agrícola baseado na grande propriedade rural, na monocultura destinada á exportação e no uso de mão de obra escrava.
A independência das treze colônias
Novos interesses da metrópoleAs características da colonização do norte e do centro eram muito diferentes das do sul, mas em todas as regiões prevaleceu um alto grau de autonomia política. Os governos definiam junto ás assembleias, regras de convivência, e as leis eram votadas internamente, sem interferência da metrópole.
A intervenção metropolitana
As novas terras tornavan-se, aos poucos, foco de tensão entre...
tracking img