Historia do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1249 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução



No primeiro ano do mandato do presidente Itamar Franco, Fernando Henrique assumiu o Ministério das Relações Exteriores, em 1992, e no ano seguinte foi atribuída a ele a função de Ministro da Fazenda. Nesta realizou uma reforma monetária na economia brasileira que vivia uma hiperinflação, o chamado Plano Real.

Com o plano real FHC se destacou e começou a sercogitado para eleição a presidência de 1994. Ao ser eleito deu continuidade ao plano real e implementou medidas de médio e longo prazo para economia. Inicio uma verdadeira reforma do estado brasileiro, com privatizações e reformas estruturais. O governo FHC foi responsável pela efetiva inserção do Brasil na política Neoliberal.



























EstabilizaçãoA partir do ano de 1994 o Brasil viveu mais uma tentativa de estabilização econômica, iniciada no governo Itamar Franco, onde Fernando Henrique Cardoso era Ministro da Fazenda, o Plano Real a curto prazo proporcionaram dois êxitos, colocou Itamar Franco com um bom índice de popularidade ao fim de seu mandato e controlou a grande inflação que assustava, assim com o plano real houve queda doimposto inflacionário e a economia reaqueceu-se no curto prazo.

O Plano Real foi implementado em três etapas: primeira buscou o ajuste fiscal no curto prazo, na segunda o ajustamento dos preços relativos e por ultimo realizou-se a reforma monetária com introdução do real.

Durante o Governo Fernando Henrique Cardoso, o Brasil viveu um momento onde o quadro econômico internacionalera bastante conturbado. Com destaque para as crises econômicas do México iniciada em dezembro 1994, a da Rússia que se declarou moratória da sua divida externa em 1998 e por ultimo a da Argentina a partir de 2001. O Brasil vivia um momento onde estava inserido nos mercados financeiros internacionais e o governo FHC enfrentou as crises internacionais e se mostrou capaz em absorver as crisesexternas e se recuperar.

Nesse período houve expressivas saídas de capital estrangeiro do país, porem a estabilização da economia com a contenção do processo inflacionário, permitiu o crescimento da renda media dos trabalhadores assalariados. Contudo os mecanismos utilizados na defesa da moeda nacional e a manutenção de altas taxas de juros implicaram um ritmo lento de crescimento econômico e,em decorrência, a elevação do índice de desemprego, que atingiu 5,6% em 1997 e 7,6% em 1998.

Depois de alcançar a estabilização a curto prazo o Governo traçou planos para o médio e longo prazo. Era preciso manter o controle inflacionário e manter altas taxas de crescimento econômico, para isso o Governo concentrou suas atenções em questões estruturais como a desestatização, reformas doestado, fiscal e tributaria, politica de rendas, politica industrial e reforma financeira e equacionamento da divida interna.

Desestatização



Pode-se dizer que o processo de privatização se deu em 1981, quando o governo Figueiredo aprovou o Decreto 86.215, que fixava as primeiras diretrizes para transferência de empresas controladas pelo estado. Mas foi somente após 1990, e maisintensamente após 1995 que a desestatização realmente ocorreu.

A reforma patrimonial ocorreu em quatro fases, a primeira iniciada em 1981 com decreto de Figueiredo. A segunda iniciada em 1990 com ênfase em empresas produtoras de bens, com foco nos setores de siderurgia, petroquímico e fertilizantes. A terceira a partir de 1993 com a principal característica as mudanças das regras paraprivatização. A quarta e ultima fase teve inicio em 1995 e se distingue das demais por se tratar da privatização de serviços públicos. Nesse processo surgiram algumas dificuldade em relação a qualidade dos serviços prestados, oque indica que o governo subestimou a necessidade de preparativos para garantir uma transição eficiente e com o mínimo de falhas possíveis.

Ao longo do governo FHC foram...
tracking img