Historia da enfermagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1665 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
HISTÓRIA DA ENFERMAGEM: VERSÕES E INTERPRETAÇÕES

1. Os anos de 1945 a 1955

1.1. O período de 1945 a 1955 é permeado de acontecimentos importantes, seja de ordem política, econômica ou social. A volta de Getulio Vargas à presidência e a retomada do modelo de industrialização por ele implantado anos antes. A ocorrência de uma série de conflitos no inicio da década de 1950 queculminam com o suicídio de Vargas em Agosto de 1954.
1.2. A vitória dos aliados na 2ª Guerra Mundial mudou os cenários políticos nacionais e internacionais. Instalou-se aqui e euforia democratizante: foram realizadas eleições gerais, o partido Comunista foi legalizado e foi elaborada nova Constituição. Nessas eleições, Vargas tornou-se deputado por nove estados e Senado por São Paulo e pelo RioGrande do Sul, fato que demonstrou sua penetração política, e que determinou sua volta à presidência em 1951.
1.3. Dutra foi eleito presidente, governando o país até o retorno de Vargas. O governo de Dutra, grosso modo, pode ser caracterizado pelo liberalismo econômico,
1.4. São acontecimento importante da época: criação do Plano SALTE, plano qüinqüenal de coordenação de gastospúblico, aplicado em 1949 e que vigorou efetivamente durante um ano, sendo em seguida abandonado.
1.5. Apesar de discursos de democracia da sociedade brasileira, a estrutura política permaneceu essencialmente a mesma do Estado Novo. Em 1947 o Partido Comunista voltou à ilegalidade, dezenas de sindicalistas sofreram intervenção federal, entre eles o Sindicato de Enfermeiros Marítimos.
1.6.Em 1951, Vargas volta a presidência, eleito pelo PSD e PTB.
1.7. O governo Vargas evidenciou possuir facetas fortemente marcadas por um conteúdo do populista e nacional-popular. Fundava-se na conciliação entre “a satisfação de diversas demandas populares, a manutenção do ritmo acelerado do crescimento e as contraditórias alianças integrantes da cúpula do pacto político.
1.8. Comrelação às políticas de saúde, é nesse período que seus aparelhos atingem a estrutura que vigiria até a atualidade, composta de dois subsetores: um de saúde pública e outro de medicina previdenciária. Assim é que houve: a criação em 1953 do Ministério da Saúde, com caráter secundário com relação a outros ministérios: a primeira tentativa de unificação dos institutos previdenciários (que seconcretizaria somente em 1966); a tendência ai instaurada de concentração dos gastos em saúde na rede hospitalar e a crescente importância do tema previdência social.
1.9. As condições de trabalho e de vida da classe operária deterioravam-se dia a dia.
1.10. Surge uma nova fração de classe, a classe média, composta especialmente de funcionários públicos, burocratas e comerciantes, que, com apromulgação da Constituição de 1946 adquire importância política, na medida em que limita o direito de voto aos brasileiros alfabetizados.
1.11. A enfermagem amplia sua divisão de trabalho e o número de entidades representativas, São criadas a Associação de Ex-alunas da Escola de Enfermagem Anna Nery (1942), a união dos auxiliares de Enfermagem (1951) e a Associação dos Enfermeiros eServidores em Hospital (1954). Além disso, a Associação Brasileira de Enfermeiro Diplomadas (ABED) amplia sua representatividade com a criação de diversas seções estaduais; e o Sindicato dos Enfermeiros Marítimos realiza a primeira greve abrangendo o pessoal de Enfermagem que se tem noticiais em nosso país.
1.12. Em 1946, é sancionado decreto que cria o curso de auxiliar de Enfermagem. Segundo aABED, o pouco número de enfermeiras diplomadas e a necessidade de muitos profissionais fizeram com que fosse procurada uma solução emergencial, dada pela criação de um profissional hierarquicamente subordinado ao enfermeiro diplomado e que pudesse ser formado em menor tempo.
1.13. Ainda em 1946, a ABED enviou memorial ao presidente da República solicitando reconhecimento da profissão e...
tracking img