Gases reais e ideais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1928 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sumário

1. Introdução 2
1.1 O estado gasoso 2
1.2 Leis dos gases 2
1.3 Modelo cinético dos gases e gases reais 3
2. Objetivo 4
3. Procedimento experimental 4
3.1 Determinação da massa molar do vapor de líquidos voláteis 4
3.2 Determinação do teor de carbonato de uma amostra 4
































1. Introdução

1.1 O estado gasosoOs diferentes estados da matéria são determinados pelo grau de liberdade das partículas (átomos ou moléculas). O estado mais simples da matéria é o gás, caracterizado pela distancia entre seus átomos ou moléculas. É conveniente imaginar as partículas de um gás em movimento permanente e aleatório, devido eles serem facilmente compressíveis e preencherem um espaço determinado. Um gás difere-sede um líquido na proximidade das moléculas, que se movem em trajetórias que não são perturbadas por forças intermoleculares, exceto nos instantes de colisões.
O estado físico de uma amostra de uma substância é definido por suas propriedades físicas. O estado de um gás puro, por exemplo, é determinado por suas variáveis: volume que ocupa, pressão e temperatura a que está submetido e aquantidade de matéria.

1.2 Leis dos gases



As primeiras medidas quantitativas do comportamento pressão-volume dos gases foram feitas por Robert Boyle. Seus resultados indicavam que o volume é inversamente proporcional à pressão (equação 1).

V = Cte / P (onde cte = constante) (equação 1)

Experiências posteriores do cientista francês Jacques Charles mostraram que, para umamassa fixa de gás sob pressão constante, o volume variava linearmente com a temperatura qualquer que fosse a natureza do gás, desde que a pressão fosse baixa (equação 2)


V = Cte . T (equação 2)


A explicação da lei de Charles está no aumento da velocidade média das moléculas do gás quando se eleva a temperatura. As moléculas então colidem com as paredes do recipiente com maisfrequência e com maior impacto, exercendo maior pressão. Outra contribuição para o estudo dos gases foi dado pelo princípio de Avogadro, que afirma que: “volumes iguais de gases, nas mesmas condições de temperatura e pressão, contém o mesmo número de moléculas” (equação 3).


V = Cte . n (equação 3)


Combinando-se essas três diferentes leis empíricas, tem-se uma relação geral(equação 4)
P.V = Cte . n . T (equação 4)


A constante de proporcionalidade (Cte), medida experimentalmente para todos os gases, é simbolizada por R, e seu valor estimado é: 0,082 atm.L.K-1 .mol-1, 62,3 mmHg.L.K-1 .mol-1, 2,0 cal.K-1.mol-1.
Quando a constante de proporcionalidade é escrita como R, essa expressão é conhecida como equação dos gases ideais ou perfeitos (equação 5).P.V = n .R .T (equação 5)


A equação dos gases ideais possui grande importância na físico-química, pois ela resume as relações que descrevem a resposta de um gás ideal a mudanças de pressão, volume, temperatura e quantidade de matéria. Um gás que obedece a lei dos gases ideias sob todas as condições é chamado de gás ideal.



1.3 Modelo cinético dos gases e gases reaisAs propriedades de um gás perfeito explicam-se qualitativamente em termos de um modelo em que as moléculas do gás estão em permanente movimento caótico, o que nos leva ao modelo cinético dos gases, no qual se admite que a única contribuição à energia do gás provém das energias cinéticas das moléculas. Esse modelo parte de três hipóteses:
1. O gás é constituído por moléculas de massa mem movimento aleatório incessante.
2. O tamanho das espécies é desprezível, entendendo-se por isto que os diâmentros moleculares são muito menores do que a distância média percorrida pelas moléculas entre duas colisões sucessivas.
3. As moléculas não interagem umas com as outras, exceto quando em contato, nas colisões perfeitamente elásticas.


As forças repulsivas nos gases são...
tracking img