Financias impresariais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4708 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DAS EMPRESAS

Irece
2010

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DAS EMPRESAS

Trabalho apresentado ao Curso de Administração da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Seminário II.Orientador: Prof. José Manoel da Costa

Irece
2010

sumário

1 INTRODUÇÃO.................................................................................................3

2 DESENVOLVIMENTO......................................................................................4

3CONCLUSÃO.................................................................................................15

4 REFERÊNCIAS..............................................................................................16
INTRODUÇÃO

Segundo o ministério de fazanda, encontramos diverças modalidades de contribuição determinadas em Leis. Para cada modalidade existe a aliquota base de contribuição juntamente com suas variações exemplo a comtribuição ao INSS quevaria conforme a remuneração obtida, uma outra forma que conhecemos bastante é com relação as empresas que pode variar a um pequeno empreendedor individual onde seus ganhos estão estabelecidos em no maximo R$ 36.000,00; já no caso das micro e grandes empresas aplica – se uma outra regra. Não esquecendo dos trabalhadores autonomos que também são contribuintes.

2 DESENVOLVIMENTO

1. Alíquotas1.1 Empresas ou Equiparado
– 20% (vinte por cento) sobre o total das remunerações pagas, devidas ou creditadas, a qualquer título, durante o mês, aos segurados empregados e trabalhadores avulsos que lhes prestam serviços.
Nota 1: tratando-se de bancos comerciais, bancos de investimentos, bancos de desenvolvimento, caixas econômicas, sociedades de crédito, de financiamento ou de investimento,sociedades de crédito imobiliário, sociedades corretoras, distribuidoras de títulos ou de valores mobiliários, empresas de arrendamento mercantil, cooperativas de crédito, empresas de seguros privados ou de capitalização, agentes autônomos de seguros privados ou de crédito e entidades de previdência privada abertas ou fechadas, é devida a contribuição adicional de 2, 5% (dois e meio por cento)incidente sobre a remuneração dos segurados empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.
- 1% (risco leve), 2% (risco médio) ou 3% (risco grave) incidente sobre o total das remunerações pagas, devidas ou creditadas, a qualquer título, durante o mês, aos segurados empregados e trabalhadores avulsos que lhes prestam serviços, para o financiamento dos benefícios concedidos em razão dograu de incidência de incapacidade laborativa decorrente dos riscos ambientais do trabalho.
Nota 2: o enquadramento nos correspondentes graus de risco é de responsabilidade da empresa, que deverá fazê-lo mensalmente, com base na atividade econômica preponderante, observando a Relação de Atividades Preponderantes e Correspondentes Graus de Risco contida no Anexo V do Decreto 3.048, de 1999.
- 20%(vinte por cento) sobre o total das remunerações pagas ou creditadas, a qualquer título, no decorrer do mês, aos segurados contribuintes individuais que lhes prestam serviços, para fatos geradores ocorridos a partir de 1° de março de 2000.
- 15% (quinze por cento) sobre o valor bruto da nota fiscal, da fatura ou do recibo de prestação de serviços, relativamente aos serviços que lhes são prestadospor cooperados por intermédio de cooperativas de trabalho, para fatos geradores ocorridos a partir de 1° de março de 2000.
- Alíquotas variáveis, a depender da atividade da empresa, para outras entidades e fundos (terceiros), incidentes sobre o total das remunerações pagas, devidas ou creditadas, a qualquer título, durante o mês, aos segurados empregados e trabalhadores avulsos que lhes...
tracking img