Filozofando ginsburg

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1377 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 27 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Carlo Ginzburg, historiador italiano, especialista em história da cultura das classes subalternas no início da era moderna, sua principal obra é O queijo e os vermes (1961) não há dúvida que esta constitui a obra de fôlego do autor como especialista da história europeia no início da Idade Moderna. Sua contribuição erudita é inegável para o desenvolvimento de um campo de estudos na história dafeitiçaria e dos sistemas de crenças compartilhados pelo mundo camponês europeu até a Reforma. Seu trabalho propõe novas hipóteses sobre a autonomia relativa e as relações que se estabeleciam entre “alta” e “baixa” cultura.
A principal intervenção de Ginzburg no debate historiográfico foi de natureza teórica e metodológica. O modo de abordar as fontes, seu modo de exposição e da narrativa, aatenção as anomalias da documentação, também o uso experimental de uma abordagem “morfológica” foram os aspectos mais evidentes dessa contribuição que era acompanhada pelo esforço em pensar sistematicamente as consequências cognitivas dessas escolhas de métodos.
Ginzburg procurava claramente reconstruir as características essenciais de uma cultura que não havia deixado muitos traços. O ideal de fazerouvir vozes silenciadas que não deixaram registros diretos pela via indireta do estudo sobre uma história individual era uma das questões centrais de sua obra.
Através de um movimento duplo reconhece-se como cultura tanto os fazeres de povos "exóticos", quanto às práticas das classes subalternas dos povos civilizados. Assim ele se expressa que:
"Só através do conceito de "cultura primitiva" é quese chegou de fato a reconhecer que aqueles indivíduos outrora definidos de forma paternalista como "camadas inferiores dos povos civilizados" possuíam cultura. A consciência pesada do colonialismo se uniu assim à consciência pesada da opressão de classe." (GINZBURG, 1987, p. 17).
Ginzburg constata que só recentemente a história vai se aproximar da temática do popular. Isso se deveu em seuentendimento a duas motivações, a saber: uma ideológica e outra metodológica. A primeira diz respeito a certa concepção elitista que considera as "crenças e ideias originais" apenas e exclusivamente originadas no âmbito das classes superiores, e que por um processo de difusão essas ideias são transmitidas às classes subalternas. Outro aspecto metodológico fica por conta de que as culturas das classessubalternas são predominantemente orais, e mais ainda se recuarmos em séculos passados.
Ginzburg observa que a cultura não é estanque e estática. Ao contrário, a cultura teria o caráter dinâmico e possuiria a faculdade de "circular" entre os setores da sociedade. O autor italiano defende, também, que é possível e necessário trabalhar com a produção cultural que não é proveniente das classessuperiores. Para ele, a cultura não deveria ser entendida como um artefato exclusivo de uma classe superior, visto que a categoria popular não se definiria pela classe social dentro da qual os textos seriam produzidos, mas pelo uso que se faz deles, pelo seu modo de assimilação.
Ginzburg vai trabalhar as oposições culturais das classes. Para tanto, apresenta uma história, no qual estuda acircularidade cultural, partindo de um personagem da Idade Média por nome de Menocchio que alugava moinhos, tendo em vista, ele pertencia a "Classe baixa" da camada social e que, por ter ideias diferentes de sua época principalmente diante da Igreja Católica, foi condenado pelo Santo ofício, ou seja, pela Santa Inquisição. Sendo assim, o que Ginzburg quis mostrar com os seus estudos partindo do conceito deCircularidade cultural é que, é possível existir uma pluralidade de pensamentos diferentes em qualquer determinada época da história.
Vale salientar que esta obra de Ginzburg se enquadra no conceito de micro historia, pois sendo que a mesma aborda uma redução na perspectiva do objeto de estudo, ou seja a micro historia parte do individuo para explicar o todo, é neste sentido que menocchio é...
tracking img