Filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5169 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Educação Especial e inclusão escolar
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
Faculdade de Educação
Departamento de Estudos Básicos
Psicologia da Educação – EDU01011

EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO ESCOLAR

Porto Alegre, junho 2008.

EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO

MARCOS HISTÓRICOS:
Na Antigüidade predominava a filosofia da eugenia e as pessoas excepcionais, consideradasdegeneração da raça humana, deveriam ser eliminadas devido ao transtorno que geravam à sociedade (Ribeiro, 2003, p. 42). Com a influência da doutrina cristã, passou a existir uma certa tolerância e numa aceitação caritativa, devendo essas pessoas ficarem segregadas. Até meados do século XVIII, as noções de deficiência foram marcadas pelo misticismo e preconceito. Na Idade Moderna, com a maiorvalorização do ser humano, cresceram os estudos no ramo da Medicina sobre a “pessoa excepcional”. O início do século XX foi marcado por preocupações assistencialistas e com o enfoque médico-terapêutico, com interesse pela educação dos excepcionais e não apenas pela sua proteção, porém ainda de forma segregada. A partir da metade do século XX, principalmente com estudos realizados na Dinamarca, chegou-se aoprincípio da Normalização,- que buscava criar condições de vida às pessoas com retardo mental, semelhantes, tanto quanto possível, às condições normais da sociedade em que vive - que chegou no Brasil na década de 70 e opunha-se às tendências segregativas da época.
Educação delimitada como a escolarização de um grupo privilegiado, portanto a exclusão legitimada e reprodutora da ordem social.Educação especial atendimento educacional especializado; criação de instituições especializadas; conceito normalidade/anormalidade (testes psicométricos).

Primeiras instituições:
1854 – Instituto de Meninos Cegos - RJ (atual Instituto Benjamin Constant);
1857 – Instituto dos Surdos Mudos - RJ (atual Instituto Nacional de Educação dos Surdos);
1926 – Instituto Pestalozzi para pessoas comdeficiência mental;
1945 – Sociedade Pestalozzi cria atendimento para pessoas com superdotação;
1954 – APAE.

Evolução da legislação:
Em 1961, a LDB aponta o direito dos “excepcionais” à educação, reforçando o encaminhamento dos alunos para as classes e escolas especiais.
Na vigência da Lei 5.692/72 houve um forte discurso de democratização do ensino, aumentando o número de matrículas e gerandopreocupações com o fracasso escolar, que geraram pesquisas na década seguinte. Contudo, o atendimento educacional a pessoas deficientes continuou sendo feito de forma segregada.
Em 1973, é criado no MEC, o Centro Nacional de Educação Especial, sob a égide integracionista, configurado por campanhas assistenciais e ações isoladas do Estado. Havia políticas especiais para alunos com deficiência.Com a Constituição Federal de 1988, a educação passou a figurar como um direito de todos (art. 205), estabelecendo “igualdade de condições de acesso e permanência na escola” (art. 206), sendo o ensino dever do Estado, garantindo a oferta do atendimento educacional especializado, preferencialmente na rede regular de ensino (art. 208).
Em 1990 com a criação do Estatuto da Criança e do Adolescente“os pais ou responsáveis têm a obrigação de matricular seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino”.
Em 1994, a Declaração de Salamanca influencia a publicação da Política Nacional de Educação Especial, porém esta mantém a responsabilidade da educação dos alunos com diferentes potenciais exclusivamente no âmbito da educação especial. Em 1996, a Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoNacional preconiza que os sistemas de ensino devem assegura aos alunos currículo, métodos, recursos e organização específicos para atender às suas necessidades. Na educação básica há a possibilidade de avanço nos cursos e nas séries mediante cursos e exames. Em 1999, a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência define a educação especial como uma modalidade transversal...
tracking img