Filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5470 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Cibercultura e iniciação à pesquisa: desafios frente ao uso de novas tecnologias
Prof. Dr. Rogério José Schuck (UNIVATES) Prof. Ms. Derli Juliano Neuenfeldt (UNIVATES)
Resumo: O texto analisa a compreensão que o discente de uma instituição comunitária localizada no Vale do Taquari/RS tem de iniciação à pesquisa, bem como ferramentas com que opera, como se deu a iniciação à pesquisa e desafiosfrente ao uso das novas tecnologias na construção do conhecimento e inserção na Cibercultura. Fizeram parte da pesquisa 5% dos alunos de cada curso de graduação. Os dados foram coletados através de questionário. Percebeu-se que há desafios enormes junto à motivação dos alunos para a leitura, assim como questões preocupantes em relação à prática de cópia de textos sem fazer referência clara aosmesmos. Palavras-chave: Cibercultura; Pesquisa; Novas Tecnologias. Abstract: The present text analyses the understanding the undergraduate student of a community institution in the Taquari Valley, RS, has about the beginning to the research development the tools he uses, how it started as well as the challenges he faces in using the new technologies in the construction of knowledge and hisintroduction in the cyberculture. It involved 5% of the students of each undergraduate program. The data were gathered through a questionary. The results show that there are many challenges in relation to the motivation of the students to the reading as well as in copying the information without informing the references. Key words: Cyberculture; Research; New Technologies.

Introdução
Diante das novastecnologias emergentes, sobretudo a partir do final do Século XX e inícios do Século XXI, surge uma nova postura frente ao acesso ao conhecimento. Urge notarmos que essa mudança não se limita à contemporaneidade, sendo que suas origens apontam para tempos de profundas transformações, advindas, sobretudo, da modernidade. Historicamente a modernidade firmou o modelo linear de construção deconhecimento, impulsionando uma perspectiva de separação rígida entre sujeito e objeto, que se firmou como paradigma predominante dentro das ciências. A Revolução Científica Moderna não trouxe somente a possibilidade de chegar ao
Universidade Federal de Pernambuco - Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação

-1-

conhecimento

por

outras

vias,

mas

acabou

causando

umadas

maiores

transformações na relação do homem consigo mesmo e com o cosmos. Partindo de um breve esboço de pressupostos teóricos a respeito das grandes correntes presentes no pensamento, buscamos analisar a compreensão que o discente de uma instituição comunitária localizada no Vale do Taquari/RS tem de iniciação à pesquisa, bem como ferramentas com que opera ao buscar o conhecimento,seja acadêmico ou em sentido amplo, para, juntamente, percebermos como se deu sua iniciação à pesquisa. Para tanto, contamos com a colaboração voluntária de 5% dos alunos de cada curso de graduação da Instituição. Os dados foram coletados através de um questionário, sendo que a tabulação se deu em forma de gráficos que permitem uma análise inicial de dados, assim como traçar algumas considerações epercepções. No decorrer do presente texto, algumas dessas percepções serão apresentadas, com breves considerações finais.

Pressupostos Teóricos
No século XVII o racionalismo1 se firma como grande paradigma na construção do conhecimento. Descartes lança as bases para a modernidade consolidar-se, mais adiante, como sendo a grande detentora do modelo para se chegar a um conhecimento verdadeiro.2Na doutrina das idéias inatas, já iniciada por Cícero, na última fase do estoicismo, encontramos os fundamentos do conhecimento, trazendo a perspectiva de um certo número de conceitos inatos em nós, que são os mais importantes e tornam-se fundamentadores do conhecimento. Nesse sentido, Leibniz é o grande continuador da obra de Descartes. Para ele, os conceitos inatos existem em nós apenas em...
tracking img