Fichamento teoria de planejamento urbano

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1300 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Nome: Daniela Novato Silva RA: 11011511
Disciplina: Teoria do Planejamento Urbano
Fichamento do texto: “O processo de urbanização no Brasil”
O texto tem como objetivo traçar um panorama histórico do planejamento urbano brasileiro pela ótica stricto sensu, corrente que teve como eixo as atividades e discursos que vieram a desembocar nos atuais planos diretores. O autor traça estepanorama utilizando as seguintes características do nosso processo de urbanização: a organização e equipamento desse espaço, continuidade de execução, interferência sobre a maioria ou grandes contingentes da população, papel e importância das decisões políticas.
A partir da década de 1950 é vista a necessidade de interação entre os vários objetivos dos planos urbanos. Essa interação passou a centrar-seno plano diretor e na década de 1960 recebe o nome de planejamento urbano integrado. Apesar desta forma de integração do planejamento ser considerada relevante, esse objetivo não foi alcançado na prática, com exceção apenas o zoneamento.
Define-se zoneamento a legislação urbanística que varia no espaço urbano. O zoneamento ao contrário do planejamento urbano stricto sensu surge no Brasil semqualquer elaboração teórica, sem a participação de intelectuais estudiosos da cidade e sem a influência do pensamento estrangeiro. Esta é a prática urbana mais difundida no Brasil e serviu para atender a interesses claros e específicos, particularmente dos bairros e da população de mais alta renda.
Outra prática urbana bastante difundida no Brasil desde o final do século 19 são os projetos deconstrução de novas cidades. Destacam-se cidades como Belo Horizonte, Goiânia, Londrina e Brasília, entre outras. É importante destacar que os planos de cidades novas não devem ser identificados como planejamento urbano e ou planos diretores, mas como uma ação planejada do Estado sobre o espaço urbano.
Considera-se planejamento urbano as ações do Estado sobre o urbano que tenham sido objeto dealgum plano. O planejamento urbano não é sinônimo de teorias ou pensamento sobre o “urbano”, formulações da questão urbana e ou ação não-planejada do Estado sobre o “urbano”.
Já quando pensamos na palavra urbanismo, esta pode ter três sentidos:
1. Conjunto de técnicas e ou discursos referentes a ação do Estado sobre a cidade.
2. Estilo de vida,
3. Conjunto das ciências que estudam o urbano.Estas devem referir as reais ações e as propostas consequentes de ação do Estado sobre o urbano, as políticas públicas urbanas, enquanto real ação do Estado sobre nossas cidades, principalmente as políticas de saneamento e meio ambiente, transportes e habitação.
O autor traça o panorama do planejamento urbano brasileiro de 1875 até os dias atuais em três grandes períodos.
1. Até 1930.Planos de melhoramentos e embelezamentos, forma urbana monumental associada aos padrões burgueses da época de origem renascentista e que teve adesão pelo mundo. Pode ser dividido em dois subperíodos de 1875 a 1906 (ascensão dos planos de melhoramentos e embelezamentos) e de 1906 a 1930 (declínio dos planos de melhoramentos e embelezamento).
Em sua primeira fase, esse tipo de planejamento foiamplamente utilizado para glorificar e ajudar a impor o Estado e a classe dirigente capitalista, quando eram revolucionários, tendo destaque a erradicação da classe trabalhadora que residia na área central (cortiços) para a periferia. Este plano foi responsável pelas remodelações dos centros de grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro.
No segundo momento começa a se observar uma inquietação dasociedade ao que seria denominado “caos urbano” e a falta de planejamento, especialmente a longo prazo. A missão da classe dominante já não é de embelezar.

2. 1930 até a década de 1990.

Marcado pela ideologia do planejamento enquanto técnica de base científica, primordiais para solucionar os “problemas urbanos” que são frutos do crescimento caótico das cidades, pensamento este embasado...