Fichamento ricardo antunes adeus ao trabalho???

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3285 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Capítulo I – Fordismo, toyotismo e acumulação flexível
Segundo o autor Ricardo Antunes, no começo da década de 80 ocorreram profundas transformações no mundo do trabalho, na estrutura produtiva, nos sindicatos e política em alguns países de capitalismo avançado e do Terceiro Mundo industrializado. Com grandes saltos tecnológicos, a automação, a robótica e a microeletrônica invadiram ouniverso fabril mudando as relações de trabalho e produção do capital. O fordismo processo de trabalho que, junto com o taylorismo, predominou na grande indústria capitalista ao longo deste século.
O toyotismo processo de “especialização flexível” substitui o fordismo que seria o processo de produção em série e massa, buscando adequar-se a nova lógica de mercado. Com essas formas transitóriasde produção, cujos desdobramentos são tão agudos, conseguem atingir diretamente os direitos e conquistas históricas dos trabalhadores onde são substituídos e eliminados do mundo da produção.
Discutem alguns autores sobre os diversos modelos de acumulação flexível, onde poucos pregam sobre o avanço dessa acumulação e outros defendem a produção fordista. Como afirma Clarke o fordismo estápassando por novas formas de pressões competitivas podendo adotar dimensões flexíveis não sendo superado, passando apenas por crises.
Enquanto uns autores acreditam na nova forma produtiva e outros não, Harvey diz que:
“(...) É perigoso fingir que nada mudou, quando os fatos da desindustrialização e da transferência geográfica de fábricas, das práticas mais flexíveis de emprego do trabalhoe da flexibilidade dos mercados de trabalho, da automação e da inovação de produtos olham a maioria dos trabalhadores de frente” (Antunes apud Harvey, 178-179).
Com a tese desenvolvida por Harvey, a acumulação flexível como sistema de trabalho alternativo pode existir lado a lado a produção em série, que permita os empreendedores capitalistas escolherem entre eles.
Como experiênciade acumulação flexível pode se dizer que o Toyotismo teve um impacto extraordinário enquanto processo ágil e lucrativo de produção de mercadorias. Coriat fala em quatro fases do toyotismo a primeira: introdução, dada como necessidade do trabalhador operar em diversas máquinas. Segunda: seria a necessidade de a empresa superar a crise financeira, aumentando a produção sem aumentar o número defuncionários. Terceira: importação de técnicas de gestão dos supermercados dos EUA, que deu origem ao Kanban, tendo como foco produzir somente o necessário com o melhor tempo baseando-se em reposição dos produtos somente após a venda como em supermercado. Quarta fase: A expansão do método kanban para empresas subcontratadas e fornecedoras.
Esse sistema permite que o trabalhador aprenda amanusear várias máquinas fazendo com que haja uma desespecialização e polivalência dos trabalhadores qualificados, transformando-os em trabalhadores multifuncionais. Há também uma horizontalização no sistema de produção toyotista, que visa reduzir o âmbito de produção das montadoras passando para as subcontratadas, as terceirizadas na produção de elementos básicos.
O Toyotismo possui além de todasessas qualidades, limitações produtivas dadas por um mercado interno que solicita produtos diferenciados e pedidos pequeno baseado na indústria automobilística japonesa que produziu 69 mil unidades, enquanto os EUA produziram 9,2 milhões. Outro ponto importante é a contratação de um número reduzido de trabalhadores contratados que realizam horas extras e subcontratam trabalhadores temporários.Era necessário enfrentar também o combate sindicalista japonês, que após muitos confrontos com as empresas acabam sendo cooptados pelos patrões, passando-se a chamar Família Toyota. O lema nesse momento era “Proteger nossa empresa para defender a vida”, oferecendo aos funcionários emprego vitalício para alguns trabalhadores e também ganhos salariais fazendo com que os trabalhadores fiquem...
tracking img