Fichamento: as origens dos antropos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2451 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Fichamento
Livro: “Antropos e Psique”
Autor: Silas Guerriero

As Origens dos Antropos

Transcrição

“A antropologia, segundo a etimologia, é a ciência que busca conhecer o antropos, o humano.” (Página 1).
“Durante muito tempo nos enxergamos como feitos à imagem e semelhança de Deus.” (Página 1).
“Um cientista inglês, geólogo e naturalista, ameaçou nosso lugar sobre o pedestal dos seresvivos. Charles Darwin colocou-nos na incômoda companhia de todos os outros animais. Afirmou que todos somos frutos de uma mesma evolução biológica, assemelhando-nos a nossos parentes mais próximos, os primatas. Tamanha ousadia foi imediatamente retrucada com ironia.” (Página 2).
“Passado um tempo, tendo a ciência confirmado a Teoria da Evolução e encontrado provas inequívocas da sua veracidade,uma saída foi sorrateiramente construída: “Certo, somos animais que, como os demais, participamos do processo evolutivo, mas acreditamos ser essa evolução um progresso: caminha-se do mais simples ao mais evoluído, ao mais elaborado, situando-nos na ponta superior”. Assim, nossa prepotência se manteve intacta: continuamos acima dos demais animais. Essa visão acaba justificando nosso domínio sobre oplaneta. Arrogando-nos a exclusividade da razão, colocamos todo o resto à nossa disposição. [...]Se ainda não destruímos a Terra com arsenais atômicos, em pouco tempo podemos acabar com a água limpa e doce, com o ar respirável, as florestas e milhares de espécies. Que superioridade é esta?” (Página 2).
“Há evolução, mas ela não representa necessariamente um progresso positivo.” (Página 2)“Sigmund Freud observou, com ironia, que as grandes revoluções científicas auxiliam na derrubada da arrogância humana de seu pedestal anterior, afastando as convicções que temos de nossa posição central e dominadora. A primeira dessas revoluções foi a copernicana, que nos removeu do centro de um reduzido universo e nos remeteu à condição de habitantes de um pequeno planeta que gira em volta de umaestrela [...] A segunda grande revolução, para Freud, foi a darwiniana, por nos colocar na descendência comum a todos os demais seres vivos.” (Página 3).
“Ao lado da biologia, da paleontologia e da arqueologia, a antropologia esteve sempre nessa busca ainda não alcançada de decifração de nossas origens.” (Página 3).
“A primeira teoria da evolução surgiu no início do século passado através donaturalista que inaugurou a biologia, Jean B. Lamarck. Acreditava que os animais mudavam sob pressão ambiental, transferindo essas mudanças para sua prole. Embora estivesse errado, sua teoria foi revolucionária para a época. Charles Darwin foi influenciado pelas ideias de Lamarck. Darwin questionou a ideia de transmissão hereditária dos esforços individuais de adequação ao ambiente e baseou sua teoria naexistência de variação casual e seleção natural. Partiu do princípio de que todos os seres vivos vieram de seus ancestrais através de um longo e contínuo processo de variações. [...]A junção dessas ideias às descobertas de Mendel, sobre a estabilidade genética, resultou no que denominamos por neodarwinismo, que ainda é a visão mais aceita nos dias atuais.” (Página 3).
“Hoje, ganha corpo uma novavisão da evolução: a teoria sistêmica, ou teoria dos sistemas vivos.” (Página 3).
“A mudança evolutiva passa a ser vista como “o resultado da tendência inerente da vida para criar novidade, a qual pode ou não ser acompanhada de adaptações às condições ambientais em mudança”. [...] De acordo com a Hipótese Gaia, a evolução não pode ficar limitada à adaptação de organismos ao seu meio ambiente. Opróprio meio ambiente é também um ser vivo. [...] Os biólogos têm sido obrigados a reconhecer que, ao invés do que pregava a visão darwinista, não é a competição que responde pelo processo evolutivo e sem a cooperação contínua e a dependência mútua ente todas as formas de vida.” (Página 4).
“A evolução não guarda planos ou projetos teleológicos, nem tampouco evidência de progressos: o que há...
tracking img