Experimento com seres humanos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1406 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 13 de agosto de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS
FMU

EXPERIMENTO

COM SERES

HUMANOS

SÃO PAULO
2011

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS
FMU

AUTORES: NELSON FIRMO LEÃO
SIMONE KAWAKAMI
TATIANA PINHO DOS SANTOS
WILZA S. NASCIMENTO

EXPERIMENTO COM SERES HUMANOS

Trabalho apresentado à disciplina deBioética, do curso de Enfermagem – 3° Semestre, sob orientação do Professor Willian.

SÃO PAULO
2011

ÍNDICE

INTRODUÇÃO....................................................................................................... 4

DECLARAÇÕES E DIRETRIZES......................................................................... 5

ÉTICA NAS PESQUISAS COM SERESHUMANOS...........................................6

CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS.....................................................................7

CRITÉRIO PARA REALIZAÇÃO DA PESQUISAS.............................................8

CONCLUSÃO..............................................................................................................9BIBLIOGRAFIA..........................................................................................................10

INTRODUÇÃO

“O princípio da moralidade médica e cirúrgica consiste em nunca executar no homem uma experiência que possa produzir nele malefício de qualquer espécie, mesmo que o resultado possa ser altamente vantajoso para a ciência, isto é, para a saúde dos outros.”Claude Bernard

A expressão “experimento com seres humanos” inclui uma vasta gama de atividades, desde pesquisas e testes com medicamentos a estudos comportamentais.
Com o progresso na ciência e na tecnologia biomédicas e sua aplicação na prática da medicina surgem inquietações na população fazendo com que a sociedade se depare com problemas éticos advindos desse novo campocientifico.
Isso porque, para alguns cientistas, o paradigma técnico – cientifico assume uma dimensão tão determinante que, pelo bem da ciência, eles consideram lícito impor sacrifícios a alguns indivíduos em nome de uma descoberta. Partindo-se então do discurso segundo o qual, em nome da coletividade, se poderia impor sacrifícios a alguns, o que se viu, na verdade, foram situações em que adignidade dos indivíduos sacrificados não era plenamente reconhecida pelos detentores do poder político ou saber científico, os quais se julgavam senhores da verdade.
Assim, os envolvidos nessas pesquisas eram os grupos de prisioneiros, populações pobres ou vítimas de preconceitos, negros, homossexuais e índios.
Como resultado das discussões sobre ética de pesquisas, propõe-se que a ação doscientistas se paute em padrões éticos fundamentados no reconhecimento da identidade e dignidade da pessoa humana. Dessa forma, almeja-se que a busca de conhecimentos científicos tenha como objetivo o bem-estar de todos, sem distinção de etnia, credo ou condições financeiras.
É importante se ter em mente que, o cientista, antes de ser cientista, é fundamentalmente homem e, por isso, está submetido aospreceitos da Ética como qualquer profissional. Da mesma forma, todo avanço médico tem de submeter-se aos princípios morais, como, aliás, acontece em todas as áreas do saber humano.

DECLARAÇÕES E DIRETRIZES

O Código de Nuremberg, editado após a Segunda Guerra Mundial, em 1947, é o primeiro documento internacional sobre o tema, surgido em face de experiências inescrupulosas em prisioneirosnazistas nos campos de concentração.
A Declaração de Helsinque, em 1964, da Associação Médica Mundial torna-se uma referência no campo da ética em pesquisas biomédicas, surgindo como resultado normas internacionais, nacionais e regionais sobre o assunto.
Reunindo o teor do Código de Nuremberg e a Declaração de Helsinque, o Conselho para Organização de Ciências Médicas (CIOMS) e a Organização...
tracking img