Exercicio resolvido de economia do setor público

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1299 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
DEPARTAMENTO DE ECONOMIA - UFPE
DISCIPLINA: ECONOMIA DO SETOR PÚBLICO
PROFESSOR: JOSÉ NOGUEIRA
1ª LISTA DE EXERCÍCIOS (25/08/2011)

1) A curva de demanda pode ser vista como a curva de disposição a pagar dos consumidores, que reflete o benefício marginal decorrente do consumo de bens e serviços. Utilizando um gráfico de oferta e demanda, mostre que, na presença de poder de monopólio, obenefício marginal é inferior à situação de concorrência perfeita.

Resposta: Desenhe um gráfico com uma curva de demanda e uma curva de oferta, digamos, lineares, e mostre que quando o preço aumenta devido ao markup cobrado pelo monopolista a área do excedente do consumidor é reduzida vis-à-vis a situação em que o markup não existe.

2) Suponha que a demanda de mercado seja dada por p = 100 – 2q.Suponha ainda que o custo marginal de um monopolista seja Cmg = ½q. Compare o excedente do consumidor e o excedente do produtor na situação de concorrência perfeita e na situação de monopólio. Qual é o peso morto devido ao monopólio?

Resposta:

Passo 1: Cálculo da quantidade e preço de equilíbrio para o monopolista.

Dada a equação de demanda, podemos calcular a receita marginal domonopolista:
RT = p.q = (100 – 2q).q = 100q – 2q2
Rmg = dRT/dq = 100 – 4q

A quantidade ótima produzida pelo monopolista é dada no ponto onde Rmg = Cmg. Assim:
100 – 4q = 0,5q  q = 22,2

O preço de equilíbrio para esse nível de produção é:
p = 100 – 2(22,2) = 55,6

Passo 2: Cálculo da quantidade e preço de equilíbrio competitivo.
P = Cmg  100 – 2q = 0,5q  q = 40  p = 20

Passo 3:Cálculo dos excedentes na situação de monopólio.

EC = ½ (base)(altura) = 0,5(22,2)((100 – 55,6) = 493,83

EP = ½ (custo marginal)(quantidade) + (markup = preço de monopólio – Cmg)(quantidade) = 0,5(11,1)(22,2) + (55,6 – 11,1)(22,2) = 1.111,11

Passo 4: Cálculo dos excedentes na situação de concorrência perfeita.

EC = 0,5(40)(100 – 20) = 1.600

EP = ½ (customarginal)(quantidade) = 0,5(20)(40) = 400

Passo 5: Cálculo da perda de peso morto devido ao monopólio.

Excedente total = ET = EC + EP

No monopólio: ET = 493,83 + 1.111,11 = 1.604,94
Em concorrência perfeita: ET = 1.600 + 400 = 2.000

Portanto,

Perda de peso morto = ET(concorrência perfeita) – ET(monopólio) = 2.000 – 1.604,94 = 395,06

3) Seja uma economia formada por doisindivíduos, A e B, e por dois bens, 1 e 2. Sabe-se que:
(i) a dotação inicial total do bem 1 é igual a 10; a dotação inicial do bem 2 é igual a 6;
(ii) TMSA1,2 = 2xA1/xA2; TMSB1,2 = xB1/xB2
(iii) xA1 = 2, xA2 = 4; xB1 = 8, xB2 = 2

onde
xA1 = dotação inicial do bem 1 para o indivíduo A
xA2 = dotação inicial do bem 2 para o indivíduo A
xB1 = dotação inicial do bem 1 para o indivíduo B
xB2= dotação inicial do bem 2 para o indivíduo B

Responda:
(a) A alocação dos bens 1 e 2 entre os indivíduos satisfaz a condição de eficiência no consumo?

Resposta: TMSA1,2 = 2(2)/4 = 1; TMS B1,2 = 8/2 = 4  TMSA1,2 ≠ TMS B1,2  alocação ineficiente.

(b) Se o indivíduo B sugere trocar 2 unidades suas do bem 2 por 1 unidade do bem 1 do indivíduo A, o que podemos dizer sobre o resultadodessa proposta?

Resposta: Como o indivíduo A está disposto a trocar uma unidade do bem 1 por uma unidade do bem 2, enquanto o indivíduo B está disposto a trocar até quatro unidades do bem 2 por uma unidade do bem 1, ambos tem sua situação melhorada  melhoria de Pareto.

4) Utilizando a caixa de Edgeworth, mostre que uma divisão igual da dotação de recursos entre dois indivíduos pode não sereficiente.

Resposta: Basta traçar uma alocação que divida igualmente os recursos disponíveis entre os indivíduos e que não esteja localizada sobre a curva de contrato. Neste caso, a referida alocação é igualitária, mas ineficiente.

5) Suponha uma economia composta por três consumidores de um bem público, cujas funções demanda são as seguintes:
p1 = 50 – G
p2 = 110 – G
p3 = 150 – G...
tracking img