Etnologia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1108 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de abril de 2010
Ler documento completo
Amostra do texto
Etnologia
A Etnologia é o estudo ou ciência que estuda os fatos e documentos levantados pela etnografia no âmbito da antropologia cultural e social, buscando uma apreciação analítica e comparativa das culturas. Em sua acepção original, era o estudo das sociedades primitivas, todavia, com o desenvolvimento da Antropologia, o termo "primitivo" foi abandonado por se acreditar quejustificava/endossava o preconceito étnico. Assim, atualmente se diz que etnologia é o estudo das características de qualquer etnia, isto é, agrupamento humano - povo ou grupo social - que apresenta alguma estrutura sócio-econômica homogênea, onde em geral os membros têm interações cara a cara, e há uma comunhão de cultura e de língua. Este estudo visa estabelecer linhas gerais e de desenvolvimento das sociedades.Em linhas gerais, a aproximação que existe entre etnologia e etnografia, compreende o entendimento sobre como se formou a prática da antropologia no seu processo de formação disciplinar. O trabalho de campo na antropologia e o período decorrente das grandes navegações compreendem o contexto para se compreender que a etnologia esteve a serviço da empresa capitalista e como a etnografia modificouessa mentalidade incluindo novas práticas como a observação participante, dentre outros elementos metodológicos para a realização do reconhecimento de uma nova alteridade.
A etnologia, estudo comparativo entre “raças” –por si só um conceito arbitrário e justificativa para as piores ações perpetradas pelo homem- apresenta um viés demasiado europeu. Como resultado da expansão comercial e imperialiniciada no século 16, e que se estendeu até o 20, os estudos sobre os povos dominados representaram mais uma das ferramentas de construção de imagens (estereótipos em grande parte do tempo) tanto dos europeus quanto dos povos subjugados. Desenvolveu-se inicialmente a literatura de viagens, operacional, atida à orla oceânica dos grandes continentes que posteriormente seriam rasgados pela ação demissionários e pesquisadores.
Estes senhores são como que extensões oculares da metrópole; lançam o seu olhar superior sobre todas as culturas que observa e, partir de discursos, justifica a sua ação exploratória. Um dos primeiros deste tipo foi o naturalista, que saia pela África, acometido pelo que Mary Pratt compara à ação de Adão ao nomear a obra do Senhor Deus. Este procura colocar ordem nocaos da natureza, abstraindo todos os espécimes de lugar e relações ecológicas, registrando-as posteriorimente em gêneros e classes –no caso das plantas e animais.
Há, porém, um aspecto interessante em sua produção: a ausência do homem nativo em suas descrições e conjecturas científicas, num relato frio e impessoal, que desvincula homem nativo e território. Esta ausência da análise do nativo édiretamente vinculada ao objetivismo científico, que prega a distância entre objeto e observador; porém, estas narrativas representavam mais: serviam justamente para passar ao leitor de tais relatos a impressão de que os exploradores chegaram a lugares ermos, que poderiam ser anexados sem piedade nem compaixão. O nativo não lhes interessava. Já em sua segunda etapa de colonização, quando os nativoseram vistos como potenciais consumidores dos excedentes da metrópole, um novo tipo de literatura de viagens surgiu com maior intensidade; sentimental, burguesa, mas igualmente letal; com ela, continua o preconceito e o discurso, mesmo que alterado. Os mesmos efeitos são alcançados: dominação ideológica (os nativos passam a se tornar menos nativos e mais europeizados) e de justificativa de suas açõestruculentas (os europeus precisavam estar em paz com seus travesseiros). Mungo Park foi o pioneiro deste tipo de literatura. Foi enviado para definir aonde ia o Rio Níger. O olhar que Mungo lança é dramatissimo se comparado ao dos naturalistas. Diferentemente dos outros narratos, ele se coloca no texto e não escamoteia (usa o “eu” e verbos que exprimem reflexão e impressões). O nativo entra numa...
tracking img