ETA e IRA

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1162 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de setembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
Grupo ETA, Europa

A imprensa internacional, nas últimas décadas, tem dado destaque às atividades do grupo basco ETA, que, por meio de seus atentados, se chocava com o Estado espanhol. Seu objetivo era conseguir a independência do País Basco. No último dia 10 de janeiro, 51 anos após o início de suas atividades, o grupo basco ETA anunciou, no jornal independente basco, Gara, uma trégua gerale permanente.
O País Basco é uma das dezessete comunidades autônomas existentes na Espanha. Sua denominação oficial é Comunidad Autónoma del País Vasco, em espanhol, e Euskal Autonomia Erkidegoa, no idioma basco. O principal componente da questão basca é a luta pela manutenção da sua identidade, língua, cultura e modo de vida, em oposição a serem incorporados e superados por outra cultura. Nessecontexto, a soberania política é vista como a única maneira de assegurar o futuro do idioma basco, o euskara, da mesma forma que a manutenção de qualquer política desenvolvida pelo governo basco.
Nos anos subsequentes à Guerra Civil espanhola, o País Basco continuou a enfrentar dificuldades econômicas, fome e repressão brutal. Propriedades foram confiscadas e empresas fecharam. Os assassinatose execuções não tiveram fim com a guerra e o regime político estabelecido foi contra a expressão da cultura basca. Isso gerou um trauma coletivo, entendido como sentimento nacional.
Cabe ressaltar, igualmente, que nem todos os bascos são a favor do ETA ou mesmo do nacionalismo. Internamente, os que não querem se envolver no conflito ou não levantam a bandeira nacionalista ficam sujeitos àrepressão do grupo. Muitos bascos, inclusive, deixam o país por conta disso. Outra crítica contundente se remete ao fato de que mesmo depois de instaurada a democracia, o ETA continuou agindo por meio violentos, ceifando a vida de vários civis inocentes, incutindo medo na população e ferindo a todos os princípios dos Direitos Humanos.

Trata-se de uma questão importante para as RelaçõesInternacionais, pois envolve uma disputa territorial, a luta pelo direto à autodeterminação, a atuação cruel e sanguinária de um grupo terrorista e os posicionamentos de um Estado frente a isso. Além disso, nos últimos anos a população civil se envolveu consideravelmente na questão do ETA, fazendo protestos e clamando pelo fim da violência por parte do grupo. Outro fator é o papel da mídia na divulgação quaseque instantânea dos atentados e mesmo das mensagens clandestinas enviadas pelo ETA ao Governo e à população civil.

O ETA já havia anunciado outras vezes o cessar-fogo, sendo em setembro passado a última vez. Contudo, a contrapartida esperada da Espanha não era atingida e as negociações não obtinham êxito. Segundo o comunicado publicado no jornal Gara, esta seria uma trégua permanente e geral,na qual o grupo sustenta o compromisso firme com a solução definitiva do conflito, bem como o fim da confrontação armada. Para o governo espanhol, no entanto, tal anúncio ainda não figura como garantias plenas de pacificação, uma vez que o grupo já rompeu inúmeras vezes com suas declarações de cessar-fogo. Cabe ao tempo nos mostrar se o ETA de fato pretende manter com suas declarações ou se estaseria mais uma tentativa de reagrupamento para, posteriormente, lançar novos ataques.
http://mundorama.net/2011/01/10/a-questao-basca-grupo-separatista-eta-anuncia-tregua-permanente-por-silvana-aline-soares-simon/

GRUPO IRA, Europa

O Exército Republicano Irlandês, popularmente conhecido como IRA (siglas para Irish Republican Army), foi um dos mais ativos grupos terroristas do século XX.Sua atuação ficou marcada pela formação de grupos paramilitares que arquitetavam diversos atentados terroristas contra seu maior alvo: a Inglaterra. A oposição à nação inglesa era prioritariamente motivada pelo interesse de tornar a Irlanda do Norte uma região politicamente independente da Inglaterra.
Outra questão que motivava a ação deste grupo também tinha a ver com as diferenças religiosas...
tracking img