Estudos disciplinares

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4628 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ICEC
INSTITUTO CUIABÁ ENSINO E CULTURA






PLANO DE GESTÃO





DISCENTE: Diogo Marino de Andrade
Elizângela da Silva Xavier
Olinta Fernandes Ferreira de Oliveira
DOCENTE: Daniela















CUIABÁ/2012






ESTADO PARANA - PR
PREFEITURA MUNICIPAL DE CIDADE FELIZ








SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE
PROJETO SIS-FRONTEIRASCONVÊNIO MINISTÉRIO DA SAÚDE - UFPR Nº 4533/2005
e EXTRATO DE ADESÃO – CIDADE FELIZ, de 15/02/2011








PLANO OPERACIONAL
MUNICIPIO CIDADE FELIZ
EQUIPE TÉCNICA DO MUNICÍPIO DE CIDADE FELIZ


Prefeito Municipal:

José Dias Ferraz

Secretário Municipal de Saúde:

Mário Márcio França

Coordenadora do SIS FRONTEIRAS no Município:

Carmem da Silva Santos

Assessoria Técnica:Maria Aparecida da Cruz















Plano Plano Operacional de Cidade Feliz/ PR



LISTA DE ABREVIATURAS

PAB:
Piso de Atenção Básica

SIS FRONTEIRAS:

Sistema Integrado de Saúde das Fronteiras


SUS :

Sistema Único de Saúde
1. INTRODUÇÃO

O Projeto SIS Fronteiras-PR destina-se a integrar ações e serviços de saúde nas
regiões fronteiriças do Estado doParaná, incluindo o município de Cidade Feliz.
Esse apresenta uma população de 4.427 habitantes e situa-se no extremo-oeste do
Estado, limitando-se a oeste com o Paraguai.
O grande desafio é fortalecer os serviços de saúde, maximizando as ações preventivas
e ampliando o acesso da população voltado para a promoção, proteção e recuperação
da saúde, em todos os níveis de complexidade.
Ainda,considerando um Sistema de Saúde hierarquizado à partir da Atenção Básica,
deve-se expandir a implementação de todos os Programas de Saúde, estruturando e
articulando a vigilância sanitária, a epidemiológica e a ambiental estaduais e
municipais, segundo a complexidade das ações e as necessidades locais.
Em relação aos recursos, as cotas financeiras destinadas ao município devem ser
constantementerevistas, para que a qualidade no atendimento à população seja
garantida.
Faz-se necessário também o desenvolvimento de um trabalho conjunto com os países
fronteiriços, estabelecendo-se políticas de cooperação mútua, de tal forma a evitar que
os problemas de saúde de um país se agravem e alcancem os demais vizinhos.

2. ESTRUTURA DO PLANO

O Plano Operacional constitui o segundo produtoda Fase I do Projeto SIS-Fronteira,
elaborado com base nas conclusões do Diagnóstico Local de Saúde do Município e
aprovado pelos governos municipal, estadual e federal.
O Sistema de Gestão do Programa Nacional de Ações Integradas em Saúde nos
Territórios Diferenciados - SIGEST-PNAIS foi criado a partir da estrutura do Plano
Operacional, que compreende: Fase, Área de Atuação, Objetivo(s),Problemas e
Oportunidades: Pontos Críticos e Positivos obtidos no Diagnóstico Local, Vinculação
Estratégica, Meta(s), Linha de Ação e Atividades.
As ações contempladas neste documento pelos municípios fronteiriços deverão estar
classificadas nas Fases de execução do Projeto SIS-Fronteira:
o Fase II - Qualificação da Gestão, de serviços e ações, e implementação da Rede de
Saúde nos Municípiosfronteiriços;
o Fase III - Implementação de Serviços nos Municípios fronteiriços.
As Áreas de Atuação e suas sub-áreas estão relacionadas à estrutura do Ministério da
Saúde: Atenção à Saúde; Ações Programáticas / Estratégicas; Ciência, Tecnologia e
Insumos Estratégicos; Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde; Gestão
Estratégica e Participativa e Vigilância em Saúde.
Para cada sub-área, édefinido um Objetivo que deve estar vinculado a uma diretriz do
Plano Nacional de Saúde: Um Pacto pela Saúde no Brasil, 2004-2007, além de estar
relacionado aos pontos críticos e positivos.
Em cada objetivo foram definidas as Metas de Produto para acompanhar e verificar as
suas execuções durante o Projeto.
As metas compreendem as seguintes linhas de ação:
A) Ações de Custeio
a. Aquisição de...
tracking img