Estudo do comportamento desviante

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2537 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
RESUMO

Este artigo apresenta um estudo de textos da década de 70 abordando o comportamento desviante e uma pesquisa sobre alunos excepcionais em escola pública de ensino primário no Estado da Guanabara. A falta de organização e equilíbrio em uma sociedade favorece o surgimento do comportamento desviante. Através de uma metodologia de seriedade discutível hoje, porém oficial naépoca, diferenciava-se socialmente as crianças, classificando-as em “normais “ e “excepcionais”. Apesar das novas terminologias e métodos, apesar de legislação específica para garantia dos direitos constitucionais, a pessoa portadora de deficiência ainda é vista como desviante em nossos dias.

Palavras-chave: Comportamento. Desviante. Sociedade. Cultura. Normas. Excepcional. Deficiente.ABSTRACT

This article presents a study of texts of 1970s addressing deviant behavior and a survey about exceptional students in public elementary school in the State of Guanabara. The lack of organization and balance in a society which fosters the emergence of deviant behavior. Through a methodology of seriously arguable today official at the time, however, differed more socially children,sorting them into "normal" and "exceptional". Despite the new terminology and methods, although specific legislation to guarantee of constitutional rights, the disabled person is still seen as deviant in our days.

Keywords: behavior. Devious. Society. Culture. Standards. Exceptional. Deficient.



INTRODUÇÃO

Este trabalho aborda dois artigos do livro “Desvio e Divergência”, organizadopor Gilberto Velho, Jorge Zahar Editor, 8ª Ed., 2003, que são:

Texto 1: Gilberto Velho, O ESTUDO DO COMPORTAMENTO DESVIANTE: A contribuição da antropologia social; Texto 2: Dorith Schneider, ALUNOS EXEPCIONAIS: Um estudo de caso de desvio.

Com base nos estudos feitos, o indivíduo que se afasta do padrão estabelecido é tratado como desviante, e de modo geral, seatribuia o conceito de normalidade segundo a visão da área médica, ou seja, o que é são é normal e o que é insano, anormal.

Os alunos classificados como “Excepcionais” eram segregados socialmente e tinham sua carreira escolástica encurtada devido ao estigma de um diploma diferenciado que lhe diminuía enquanto pessoa capaz.

Uma contribuição relevante da antropologia foi ampliar o foco doolhar sobre o conceito de normalidade, possibilitando um ponto de encontro entre as tradições “psicológicas” e “socioculturais” (VELHO, 1974, p.28).

Os textos trabalhados trazem idéias e situações que serão comparadas a casos atuais (entre 2005 e 2010) de alunos portadores de deficiência, matriculados em escolas públicas baianas de ensino fundamental e médio.

I .

Os objetivosculturais de um grupo socialmente constituído são regidos por regras definidas para que possam ser alcançados. Se não há uma estrutura equilibrada para manter esses elementos básicos e sustentar essa sociedade de forma harmoniosa, ocorre a desintegração de partes da mesma, que “adoece” e gera os comportamentos desviantes.

Há mais fatores envolvidos, como as mudanças sociais, que geramcrises no sistema até que tudo volte ou entre em novos eixos. “A confusão, a incerteza e insegurança nas relações sociais, fazem com que os indivíduos fiquem perdidos, soltos, desenraizados, tornando-se anômicos.” (VELHO, p.14)

Os conceitos de anomie e anomia, desenvolvidos por Merton¹, como condições de desequilíbrio do sistema e do indivíduo respectivamente, contemplam ainda uma idéia queparece contraditória, a“idéia de que o desviante de hoje pode ser o herói civilizador de amanhã” (VELHO, p.15), evoca as personalidades históricas que revolucionaram o seu tempo e depois se tornaram exemplo para um povo ou vários povos (e.g. o filósofo Giordano Bruno, Gandhi, a escritora George Sand).

II.

O desviante, para Gilberto Velho (1974, p. 21), lê as regras sociais e as...
tracking img