Estado, classe e movimento social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2926 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
“O Estado moderno e a sociedade civil nos clássicos da teoria política”
“O Estado, e as análises sobre ele, não tem origem na era moderna. Efetivamente, desde a antiga Grécia existem preocupações e estudos sobre o Estado e o governo, e suas relações entre si e com o povo [...]”. (p.19)
“A introdução no pensamento grego das questões “políticas” dá e refere basicamente à questão das “formas degoverno” [...] a preocupação fundamental do pensamento político da Grécia Antiga remete a: quem governa e como governa. Já na Ilíada, de Homero, consideram-se diferentes formas de governo: a “Monarquia eletiva” (em que nobres escolhiam um “baliseu” ou rei), a “Aristocracia” (governos dos melhores), a “Tirania”, a “Oligarquia” (governo de poucos) em Esparta, e a “Democracia” ateniense.” (p.19)“[...] Aristóteles distingue entre “constituições retas” e “desviadas” a partir da intenção do(s) governos(s) em defender o interesse próprio ou o bem comum. Aristóteles considera como governos retos (que seguem o interesse comum) o reino, a aristocracia e a política, e desviados (que perseguem o interesse próprio) a tirania, a oligarquia e a democracia. Na verdade a diferença não está na quantidade degovernantes e sim na presença, no governo, de ricos e/ ou pobres. [...] Finalmente a existência de “classes” e “interesse de classe” gera uma tensão, que só pode ser enviada pela a mediação da pólis o Estado da política. Ele incorpora um aspecto dinâmico e conflitivo aos estudos políticos.” (p.20)
“No pensamento de Nicolau Maquiavel (Florença, 1469-1527), confluem aspecto do seu tempo: oRenascimento em 1492 a Europa se deslumbravam com a descoberta de um Novo Mundo, revolucionando a economia e o mercado europeu; no mesmo período, Nicolau Copérnico (1473-1543) revolucionava a astronomia com o seu “sistema Heliocêntrico”, que questionava de raiz o até então oficial sistema de Ptolomeu, no qual a terra era o centro de um universo finito. O saber passa então a ser considerado como uminstrumento de controle da natureza, como poder, separando a ação política da ação religiosa [...]”. (p.20)
“[...] Ele incorpora ao debate político uma distinção, até então não considerada entre Estado e sociedade. O Estado antes chamado de pólis pelos os gregos e de “república” pelos os romanos, é o espaço onde o ator político por excelência ( o príncipe) atua. Ali ele exerce sua coerção e procura oconsenso; ali gera e desenvolve poder político; ali se criam leis que regulam a ondem “social” por outro lado, é o que Maquiavel entende por “privado”; o espaço onde o povo desenvolve as atividades econômicas, onde se gera a propriedade privada, onde se constrói a família. E é aqui onde o príncipe (o Estado) não deve intervir.” (p.21)
“1. O jusnaturalismo e a gênese do Estado nos Contratualistas”“O termo jusnaturalismo refere-se ao desenvolvimento da ideia do direito natural entre o início do século XVII e o fim do século XVIII. [...] que afirmam a necessidade de o Estado respeitar e legintimar os direitos inatos dos indivíduos, [...]”. (p.22)
“Esse princípio de legitimação do poder político é o consenso sobre quem tal poder estatal é exercido, que seria expresso num pacto ou contratosocial, estabelecido entre os homens, sobre a autoridade e normas de convivência social, aos quais passam a se submeter, renunciando a sua liberdade individual e natural daí o termo “contratualista [...]”. (p.22)
“Isso significa explicar e justificar o fundamento do estado da natureza humana, em contraposição às explicações mágicas e religiosas ( próprias da Idade Média) sobre a origem do homem, dasociedade e da divisão social, das leis e das autoridades.” (p.22)
“1.1 O “Estado de Natureza” e o “Estado Civil” em Hoobes e Locke”
“os modelos contratualistas de Hobbes e Locke são constituídos com base em dois elementos que se contrapõem e sucedem: o estado (ou sociedade) de natureza e o estado (ou sociedade) civil.” (p.23)
“No “estado de natureza” os indivíduos vivem isolados e atuam...
tracking img