Escola comeniana x escola nova

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1248 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
ESCOLA COMENIANA X ESCOLA NOVA
Marilei Teresinha Matieli Arakaki

A concepção de escola que hoje conhecemos, deriva de vários estilos que ao longo dos séculos foram sendo implantados na sociedade, todos eles necessários para atender as demandas de cada período histórico. Neste trabalho iremos fazer um contra ponto entre a concepção tradicional comeniana e a escola nova. Procurando demonstraras diferenças e semelhanças entre os dois estilos e suas influencias na concepção atual.
Socialmente falando Comenius insere-se em um sistema de transição entre a Idade Média e a Idade Moderna, marcada por grandes disputas religiosas entre o catolicismo e o protestantismo, em sua obra a Didática Magna é possível perceber que apesar de romper com a Igreja Católica não há um rompimento com areligiosidade, antes disso, existe a vontade de que todos aprendam a ler para poderem entender a Bíblia, que começava a ser traduzida para as línguas nacionais, o que não era permitido pelos padres católicos do período anterior.
Na educação a Didática Magna de Comenius escrita no século XVII vem para suprir essa necessidade de instrução levando aos indivíduos de todas as classes sociais uma educaçãolaica, universalizada, pública e gratuita que possibilitava o aprendizado de tudo para todos, enfatizando sempre o saber, a virtude e a religião e tendo a natureza como principal embasamento. Demarcando assim a transição da educação daquele período. O professor era o detentor do saber e a educação era transmitida ao aluno de fora para dentro, o aluno seria um individuo que teria o contato com oaprendizado através do professor e agiria de forma passiva a este aprendizado.
Sua organização era diferenciada da educação medieval, uma vez que, organiza a escola em sua totalidade, com salas de aulas que atendem a vários alunos ao mesmo tempo, carteiras colocadas umas atrás das outras, com o uso do quadro negro, a divisão do tempo e com a fragmentação do saber através do manual didático, quefacilitaria a vida do professor, pois através deste instrumento este teria o controle de todos os conteúdos necessários para a educação de vários alunos ao mesmo tempo. Através do manual didático o professor começaria sua aula e este seria seu principal material, os clássicos estavam fora da escola.
Este professor seria também o responsável pela queda nos custos de produção da escola, uma vez que,ao se fragmentar o conhecimento também se fragmentou o salário destinado ao profissional que, se anteriormente detinha todo o saber, agora se dava ao luxo de saber somente o que estava no manual didático objetivando-se assim todo o ensino através da divisão do trabalho didático. Não era mais necessário preocupar-se com o conhecimento total do assunto como se exigia no antigo sistema artesanal, massomente com parte dele, portanto a remuneração também não era total o que era chamado de “remuneração conveniente”.

A “remuneração conveniente” em absoluto foi pensada por Comenius como uma forma de valorização do professor, pois o aumento do salário encareceria os custos do ensino, mas, sim, como fixação de estipêndios compatíveis ao grau de complexidade das tarefas por ele executadas. Obarateamento dos serviços escolares só poderia decorrer, em grande medida, da simplificação e da objetivação do trabalho didático, daí o esforço renovador ter convergido para a instauração da divisão do trabalho no ensino e para a transformação dos instrumentos de trabalho do professor. [...] (Alves, 2004, p. 87)

As mudanças na sociedade iam além da escola, afinal naquele período o antigo sistemaartesanal dava lugar ao sistema manufatureiro, nascia assim o professor manufatureiro.

Portanto, se as transformações ocorridas na produção determinaram a superação do trabalhador artesanal pelo trabalhador manufatureiro, a Didática Magna é o registro clássico de uma época que postulava transição análoga no domínio da educação; que reconhecia a necessidade histórica de superação do mestre...
tracking img