Enxertos e retalhos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1078 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Enxertos e Retalhos

TRANSPLANTE TEGUMENTAR

* DEFINIÇÃO: “SEGMENTO DE TECIDO OU ÓRGÃO DO MESMO INDIVÍDUO OU DE OUTRO PARA REGIÃO HOMÓLOGA OU OUTRA”.

* CLASSIFICAÇÃO:
ENXERTO: tecido ou órgão transplantado completamente isolado da área doadora.
RETALHO: tecido ou órgão transplantado à área doadora por pedículo vascular.

ENXERTOS

RELAÇÃ0 DOADOR/RECEPTOR:

* AUTÓLOGO (autógeno, auto-enxerto): doador é o receptor.
Ex.: enxêrto de pele para ulceras de estase gigantes.
* HOMÓLOGO (homógeno,homo-enxerto): doador e receptor são da mesma espécie.
Ex.: transplante de rim e coração.
* HETERÓLOGO ( heterógeno, hétero-enxerto): doador e receptor são de espécies diferentes.
Ex.: coração de chipanzé para ser humano; hipófise de boi para ser humano.
*ISÓLOGO: (isógeno, iso-enxerto) doador e receptor são gêmeos idênticos

RELAÇÃO ANATÔMICA ENTRE ORIGEM E DESTINO

* ORTOTÓPICO: o enxerto é transplantado para local com mesmo tipo histológico.
Ex.: enxerto de pele para queimados, enxerto de nervo.
* HÉTEROTÓPICO: o enxerto é transplantado para região de tipo histológico diferente.
Ex.: enxerto de pele ou mucosa labial parareconstituição de uretra.

OBS.: Se o enxerto conserva suas características histológicas ele é chamado “homovital”.Ex.: enxerto de pele, enxerto arterial.
Se o enxerto vai sendo progressivamente substituido por tecido da área receptora ele é chamado “homoestático”.
Ex.: enxerto de osso congelado.

OBS.: Enxerto – transferencia de tecido que não tem vascularização própria, por isso deve ser feito compequenas quantidades de tecido. No inicio, a nutrição é feita por difusão. A partir do segundo dia começa a inosculação dos vasos. A partir do quinto dia começa a neoformação vascular.

OBS 2.:Nos enxertos pode ou não haver reinervação. Isso depende de vários fatores, tendo grande influência a riqueza de plexos nervosos da área receptora, a quantidade de tecido fibroso remanescente (obstáculo àreinervação) e a espessura do enxerto.
Na presença de um coto nervoso, a reinervação inicia-se no quarto dia aproximadamente e após 40 dias, a area receptora pode ser considerada completamente reinervada.

INDICAÇÕES DE ENXERTO

É forma mais simples de cobrir feridas, deve ser aplicada em tecidos receptores bem vascularizados. O mais comum é o de pele, pode ser feito tbm enxerto de musculo,cartilagem.
ENXERTO DE PELE: classificação segundo a espessura

* ESPESSURA PARCIAL: para lesões cutâneas diversas, como úlceras varicosas, traumas, queimaduras.
Enxerto de Thiersch: apenas camada epidérmica.
* Enxerto intermediário: epiderme e parte do derma.
Enxerto de Reverdin ( “pinch graft”) : pequenos fragmentos de pele ( “estampilhas”).
* ESPESSURA TOTAL DA PELE ( enxertode Wolf-Krause).
Perdas espessas em áreas de tecido celular sub-cutâneo escasso), como face palmar e dedos.

ENXERTOS: fatores para bom resultado

* Técnica correta de obtenção: dermátomos, bisturi, lâminas.
* Hemostasia da área receptora.
* Boa vascularização da área receptora.
* Tecido de granulação não pode ser abundante.
* Remoção prévia de tecidos cicatriciais,necroses e corpos estranhos.
* Controle prévio de infecção.
* Eliminação prévia de edema.
* ANTISSEPSIA RIGOROSA.
* Repouso no pós operatório. Não ter pressa para a alta hospitalar e cuidar pessoalmente dos curativos até completa cicatrização.

ENXERTOS: fatores de insucesso

* Hematoma ou seroma entre a área receptora e o enxerto.
* Infecção.
* Edema.
* Mávascularização da área receptora.
* Imobilização insuficiente.A maioria exige aparelho de gesso ou dispositivos especiais.
* Negligencia no longo período de recuperação, muitas vezes sob a responsabilidade de profissionais, sem qualificação e que não participaram do ato cirúrgico.
* Retorno precoce às atividade profissionais.

OBS.: Tendão sem peritendão e osso sem periosteo –...
tracking img