Entrevista amit goswami

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2076 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
RECENSÃO CRÍTICA
Rossana Cristine Floriano Jost
I. Identificação da obra
Transcrição completa da entrevista pelo físico AMIT GOSWAMI ao programa “Roda Viva” da TV Cultura.
II. Credenciais do autor
Amit Goswami nasceu na Índia e seu pai foi um guru brâmane. Físico e doutor em física nuclear pela Universidade de Calcutá, foi pesquisador e professor titular de física teórica daUniversidade de Oregon (EUA), por 32 anos.
Após um período de crise na carreira, mudou seu foco de pesquisa para cosmologia quântica e aplicações da mecânica quântica ao problema da relação mente-corpo, onde aliou o conhecimento de tradições místicas com exploração científica, buscando unificar espiritualidade e física quântica.
Isso aconteceu, porque, quando começou a trabalhar com medições quânticas,Goswami tentou resolver tudo dentro do materialismo (foi materialista por 31 anos), muito embora já começasse a dar sinais de pensamentos sobre a natureza da consciência, além do materialismo. Desta forma, aproximou-se dos místicos, meditou, começando a entender as coisas a partir de um estado de consciência alterado. Ele aprendeu mais analisando ocorrências extraordinárias que as ordinárias.Partindo de princípios da física quântica como o movimento descontínuo, a não-localidade e a causalidade descendente, Goswami amplia teoricamente essa visão a vários domínios da realidade.
Publicou os livros A Física da Alma, A Janela Visionária, O Médico Quântico e O Universo Autoconsciente (aqui Goswami demonstra como a consciência cria o mundo material e que Deus será em breve, objeto da ciênciae não mais da religião).
Aposentado da vida acadêmica desde 2003, dedica-se atualmente a palestras pelo mundo todo, inclusive no Brasil e Portugal, pela UNIPAZ. Ensina regularmente no Ernest Holmes Institute em Houston (EUA), no Philosophical Research University em Los Angeles (EUA), Pacifica em Santa Barbara, Califórnia (EUA). É membro do Institute of Noetic Sciences.
Místico com base técnica,participou do filme Quem somos nós? (What The Bleep Do We Know?), sucesso de bilheteria nos Estados Unidos.
III. Quadro de referência do autor
Muitos são os citados em sua entrevista. Inicia falando sobre a disputa entre Einstein e Niels Böhr e a comprovação da existência de um fenômeno, somente mediante o registro do mesmo; cita Darwin e as lacunas de sua teoria da evolução; a consciênciaatuando objetivamente, ilustrada no trabalho de Sheldrake; Newton e sua objetividade, contrapondo-se a Willian Blake e sua forma intuitiva de entender o mundo; Jung e a psicologia transpessoal.
Igualmente cita Brian Josephson e a evolução das leis da física, bem como Nancy Cartwright e seu livro: Why do laws of Physics lie; Schrödinger e a descoberta da Mecânica Quântica, seguido por Silberman e ofenômeno do potencial de transferência.
Finaliza com Helmut Schmidt e a influência dos médiuns nos geradores de números aleatórios e Deepak Chopra e o efeito placebo.
IV. Pressupostos e resumo da obra
O teor da entrevista dá-se pelas afirmações de Amit Goswami a respeito de uma nova visão de mundo, mais espiritualista, menos materialista, divulgando seus valores espirituais e quânticos.Para ele, a função primordial da consciência é “escolher”.
O que para Descartes foi: PENSO, LOGO EXISTO, para a Física Quântica é: ESCOLHO, LOGO EXISTO.
A aproximação entre ciência e espiritualidade foi a revolução que a FQ causou na física, especificamente com as questões: Movimento Descontínuo, Interconectividade Não-Local e Causalidade Descendente, inseridas nas visões de consciência, Deus ereencarnação relatadas a seguir.
Goswami inicia explicando que, para o materialismo, tudo se inicia nas partículas que criam os átomos, que criam as moléculas, que criam os neurônios, que criam o cérebro e que cria a consciência que, aqui, é considerada um objeto. A causalidade é ascendente.
Para a FQ, tudo se inicia na consciência em movimentos absolutamente descontínuos. A causalidade é...
tracking img