Empoderamento feminino como meio para a redução das desigualdades de gênero

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3976 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Empoderamento feminino como meio para a redução das desigualdades de gênero
* Gizelle Mageste
Ivan Beck Ckagnazaroff

A condição feminina é objeto de grande interesse desde a década de 60, quando os movimentos sociais sacudiram valores e comportamentos e esse interesse decorre do fato de que mesmo nas sociedades em que as mulheres desfrutam de certo respeito e poder social, o domíniomasculino ainda se sobrepõe, e as mulheres se mantêm distantes dos centros de decisão, salvo raras exceções. Assim, embora o grau de subordinação feminina varie de uma cultura para outra, a dominação masculina é ainda hoje, um fato (BAHIA e FERRAZ, 1999).
Há séculos as mulheres vivem em situação de desigualdade em que as relações sociais e o sistema político, econômico e cultural criaram uma relaçãode subordinação das mulheres em relação aos homens. Existem diferenças sistemáticas nas liberdades que homens e mulheres desfrutam e que freqüentemente não são redutíveis a diferenças na renda ou recursos. As disparidades de gênero são sustentadas principalmente pela divisão sexual do trabalho, pelo controle do corpo e da sexualidade e pela exclusão das mulheres dos espaços de poder e de decisão.Durante muito tempo esta situação foi tratada como natural e imutável, configurando-se como uma das formas de perpetuar a opressão sobre as mulheres.
Para Evelyne Sullerot (1988), a primeira causa de diferenciação da mulher na sociedade é o fato de ela gerar e amamentar os filhos, além de ser considerada fisicamente mais fraca que os homens. Essa diferenciação fisiológica gerou uma divisão dastarefas de forma arbitrária: além de gerar e cuidar dos filhos e das tarefas domésticas, as mulheres também produziam alimentos, cuidavam da horta, realizavam partos e fabricavam remédios naturais. Ainda ficavam responsáveis por fiar, tecer, fazer sabão, etc (SULLEROT, 1988). O problema dessa divisão de tarefas é que engravidar e amamentar não se caracterizam como trabalho, mas como funçõesnaturais, destaca Simone de Beauvoir (1986), gerando, muitas vezes, uma insatisfação feminina com suas próprias características naturais e criando um estereótipo de limitação relacionado às possibilidades de trabalho da mulher.
Nas sociedades da antiguidade, segundo Sung e Silva (1995), a família se preocupava, em primeiro lugar, com a produção econômica para qual as mulheres e escravos de ambos ossexos eram a força de trabalho. O sistema patriarcal se referia a um sistema de relações sociais, econômicas, culturais e legais entre o varão – chefe de família – e outros grupos (mulheres, meninos e meninas, escravos e escravas) e com a propriedade de terras e animais. Nesse sistema patriarcal, assim como hoje, o status das mulheres variava segundo a sua classe social. As mulheres de classesdominantes desfrutavam de certos privilégios e comodidades que as servas e escravas não possuíam. Entretanto, apesar dessa diferença, todas compartilhavam da situação de opressão e subordinação ao chefe da família.
A situação das mulheres nas sociedades patriarcais pré-modernas foi modificada como resultado da transferência dos meios de produção da família patriarcal aos donos de fábrica. Assim, nãosendo mais necessários para a produção, a escravidão foi abolida e as mulheres, com muita luta, foram conquistando seus direitos civis.
As mudanças nas sociedades modernas melhoraram a condição das mulheres em relação aos homens mas não foi uma mudança radical. O patriarcalismo ainda é percebido hoje na sociedade brasileira por diversas faces. Seja na violência contra as mulheres por parte dos seuscompanheiros ou pais, ou mesmo no campo da economia e política, no qual percebemos a pouca presença das mulheres nos postos de comando ou de decisão.
Atualmente percebe-se uma tendência para a ocorrência de transformações da condição feminina ou do que Giffin (1993) denomina como “transição de gênero”, relacionada com o desenvolvimento da sociedade industrial. Como base para a discussão sobre...
tracking img