Economia na china

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4629 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Caso Volkswagen 73719846

Sua empresa produz autopeças, mais precisamente transmissões (figura 1) para caminhões e ônibus. Seus clientes são as grandes montadoras do Brasil: a Volkswagem (responsável por 22% das suas vendas), a Fiat (18%), a Ford (17%), a Volvo (22%) e a Scania (21%).

Sua fábrica está localizada em Nova Horizontina - RS (figura 2) e, como principal (quase única)indústria do município, emprega diretamente 35% da força de trabalho, além de gerar empregos indiretos para aproximadamente mais 20% da população economicamente ativa.
[pic]
[pic]

A Volkswagem montou uma nova fábrica de caminhões no Rio de Janeiro, segundo o que, modernamente se convencionou chamar de consórcio modular (veja reportagem de IstoÉ). Sua empresa foi convidada acompartilhar, sob a administração da MWM e Cummins, o módulo 4, responsável pela montagem do motor.
A experiência exigida para compor-se ao carrossel do consórcio modular você não tem. Seu negócio sempre foi fabricar transmissões (o que você faz muito bem e competitivamente) mas nunca montou estas transmissões em uma linha de produção. Além do mais, seu relacionamento, que anteriormente eradireto com a Volks agora passa a ser intermediado pela MWM e Cummins (ambas também fabricam transmissões. A Volks, em sua política de diversificação mantém pelo menos 2 fornecedores do mesmo item para cada componente de seus veículos).

O sucesso do consórcio modular é mundial. A Ford (em São Paulo – veja figura 3), a Volvo (no Paraná), a Fiat (em Minas Gerais) e a Scania (no EspíritoSanto) anunciaram a instalação para o próximo ano de empreendimentos similares. Vocês serão convidados a participar destes empreendimentos.

[pic]

Um estudo preliminar demonstrou que para cada cliente será necessário um contingente de aproximadamente 60 funcionários (3 turnos X 20 funcionários), ou seja 300 empregados (5 fábricas X 60 funcionários) dispersos em 5 estados dafederação. Isto corresponde aproximadamente a 1/4 de seu atual quadro funcional.

Faz algumas semanas, o prefeito de Mairiporã em São Paulo (figura 4), entrou em contato com sua empresa e ciente de que estava no centro geográfico das novas fábricas, ofereceu uma área física no distrito industrial da cidade com atraentes subsídios tributários para que sua empresa para lá se mudasse. Não é precisomencionar que a infra-estrutura do município é de primeira e que os seus principais fornecedores de matéria prima estão localizados nas imediações.
[pic]

Cabe aos gestores da empresa (vocês), lançar três estratégias, que serão defendidas junto ao Conselho de Administração, visando definir sua atuação para o próximo exercício fiscal.

Proponham 3 estratégicas para o case apoiados navisão de Peter Drucker expressa no texto de apoio A nova sociedade de organizações. In: Administrando em tempos de grandes mudanças. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1995, p. 43-57.

Descreva a estratégia segundo a seguinte construção léxica:

1.            Começar com um verbo de ação.


2.            Especificar o resultado a ser alcançado.
3.            Especificar adata limite para o resultado ser alcançado.
4.            Ser o mais quantitativo possível, para permitir mensuração e posterior avaliação.

Checagem de consistência das Estratégias

1)     Esta Estratégia está clara para todos que a lerem?

2)     Ela é viável?
3)     É compatível com os recursos atuais e potenciais?
4)     Cria vantagem competitiva?
5)     AproveitaOportunidades e minimiza Ameaças?
6)     Ela potencializa as Forças e neutraliza as Fraquezas?
7)     Ela está circunscrita ao risco definido pela Diretoria?
8)     Respeita e reforça os Princípios?
9)     Respeita a responsabilidade social da empresa?
10) Pode promover o compromisso das pessoas envolvidas?
11) É criativa e inovadora?
12) É coerente com as demais?

|Estratégias...
tracking img